Presidente da Itália pede batalha contra a máfia

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

O chefe de Estado ressaltou que a máfia pode ser combatida e eliminada, porque ela é "incompatível com a liberdade e com a convivência humana"

A Itália recordou neste sábado os 23 anos do assassinato do juiz Giovanni Falcone por um dos líderes da organização mafiosa Cosa Nostra. Mais de 40 mil jovens se reuniram em Palermo, alguns provenientes de outras partes da Europa e dos Estados Unidos, para homenagear o juiz com o slogan "Para Não Esquecer".

Em 1992, outro magistrado italiano, Paolo Borsellino, também foi morto pela máfia. "O nome e o exemplo de Falcone e Borsellino são indissoluvelmente ligados ao trabalho comum e aos valores da corajosa batalha pela legalidade e pela democracia, a qual temos como tarefa prosseguir", disse o presidente da Itália, Sergio Mattarella, em Palermo, onde ocorreu o assassinato de Falcone.

O chefe de Estado ressaltou que a máfia pode ser combatida e eliminada, porque ela é "incompatível com a liberdade e com a convivência humana". Falcone foi morto no episódio que ficou conhecido como Tragédia de Capaci, em 23 de maio de 1992, no qual faleceram sua mulher, Francesca Morvillo, e três agentes de segurança.

Leia também:

Gravações mostram pela 1ª vez como é ritual de iniciação da máfia italiana

Prefeita italiana que ousou enfrentar máfia italiana relata calvário de ameaças

Leia tudo sobre: mundoitáliamáfia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas