A ação que levou ao fim da trégua foi realizada na noite da última quinta, quando 26 guerrilheiros do grupo foram mortos

Após a morte de 26 guerrilheiros em um bombardeio, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram nesta sexta-feira (22) o fim da trégua unilateral que havia iniciado em dezembro passado para ajudar o processo de paz com Bogotá.

Dezembro:  Farc e governo da Colômbia superam divergências e retomam diálogo

Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos anuncia que pelo menos 26 rebeldes foram mortos em ataque no oeste da Colômbia
AP
Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos anuncia que pelo menos 26 rebeldes foram mortos em ataque no oeste da Colômbia

"Não queríamos suspender o cessar-fogo unilateral e indefinido proclamado no último dia 20 de dezembro como gesto humanitário, mas nos convenceu a incoerência do governo [do presidente Juan Manuel] Santos, com cinco meses de ataques terrestres e aéreos contra as nossas estruturas", diz um comunicado do grupo.

A ação que levou ao fim da trégua foi realizada na noite da última quinta-feira (21), no departamento de Cauca, sul do país.

Segundo o presidente da Colômbia, o bombardeio foi um ato de "legítima defesa", mas ele lamentou a morte dos guerrilheiros.

Além disso, Santos instou as Farc a aceleraram as negociações de paz em Havana, capital de Cuba, para dar fim a mais de 50 anos de conflito armado interno.

Veja os grupos terroristas mais ricos do mundo

Já a organização respondeu que se vê obrigada, contra a sua vontade, a prosseguir o diálogo em meio a conflitos. O mandatário colombiano havia autorizado a realização de ataques aéreos no último dia 15 de abril, como resposta à morte de 11 militares em uma operação atribuída aos guerrilheiros. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.