Bebê sobrevive após ser arrastado por 2 km em deslizamento de terra na Colômbia

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Incidente matou mais de 80, incluindo a mãe da criança, e já é considerado o pior desastre no país desde terremoto de 1999

BBC

Um bebê de 11 meses sobreviveu a um grande deslizamento de terra na Colômbia que matou mais de 80 pessoas.

A prima do bebê, Natalia Rincón, acredita que um milagre salvou Jhosep
AFP
A prima do bebê, Natalia Rincón, acredita que um milagre salvou Jhosep

Dia 19: Sobe para 61 o número de mortos após avalanche em Salgar

A mãe do bebê e outros 11 familiares morreram depois de serem levados por uma enxurrada de lama na cidade de Salgar, na província de Antioquia, noroeste do país.

Os médicos acreditam que a criança, chamada Jhosep Díaz, sobreviveu por estar dentro de um berço acolchoado, que foi arrastado por cerca de dois quilômetros pela enchente.

"Acho que não aconteceu nada com ele pois a corrente o arrastou com o colchão do berço e todo o resto", disse a prima de Jhosep, Natalia Rincón, ao jornal El Tiempo, de Bogotá.

Quando foi finalmente encontrado, Jhosep estava de bruços, coberto de lama, mas com vida.

Segunda: Deslizamentos de terra deixam dezenas de mortos na Colômbia

Os médicos que atenderam o bebê afirmaram que ele estava muito frio quando foi encontrado, mas relativamente ileso.

"Estava inconsciente e não abria os olhinhos, mas estava respirando", disse o médico Jesús Antonio Guisao à agência de notícias AP. O avô da criança, Álvaro Hernández, ficará com a custódia.

"Em meio a tantas notícias ruins, sobre a morte de 16 de nossos familiares, a sobrevivência do meu neto é um milagre", disse.

Resgate

Os trabalhos para recuperar os corpos das vítimas dos deslizamentos continuam. Já são pelo menos 84 vítimas e, entre estas, cerca de 50 foram identificadas. O deslizamento em Salgar é o pior desastre natural na Colômbia desde o terremoto de 1999.

Imagem aérea da pequena cidade de Salgar, onde dezenas morreram em deslizamento. Foto: Twitter/ReproduçãoTemporal atingiu cidade colombiana nesta segunda-feira (18). Foto: Twitter/ReproduçãoAutoridades afirmam que número de mortos deve subir ao longo dos resgates. Foto: Twitter/ReproduçãoAté o início da noite desta segunda-feira (18), 49 mortes estavam confirmadas. Foto: Twitter/ReproduçãoImagem do deslizamento de terra que deixou cidade destruída. Foto: Twitter/Reprodução

Moradores da região e equipes de resgate continuam as buscas em uma área de 40 quilômetros de extensão, nas margens do rio Liboriana. A maioria dos moradores estava dormindo quando ocorreu o deslizamento, durante a madrugada.

Leidi Yasmin Alcaraz Flores, de 22 anos, estava em casa no vilarejo de La Liboriana, quando foi acordada pela mãe.

"Minha mãe disse que tínhamos de sair rapidamente. Ela disse que havia um deslizamento", contou Leidi à BBC.

"Pulei da cama, não troquei de roupa, peguei meus filhos (um bebê de quase dois anos e um menino de cinco) e saímos."

Ela conseguiu chegar a um terreno mais alto e esperou pelo socorro até o amanhecer.

"O rio chegou a ficar 15 a 20 vezes maior do que seu tamanho normal", disse à BBC um funcionário da autoridade municipal de Salgar.

 

Leia tudo sobre: colombiadeslizamento de terrasalgar

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas