Massacre em restaurante expõe violência de gangues de motoqueiros nos EUA

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Tiroteio entre grupos rivais deixou 9 mortos no Texas; várias gangues estão envolvidas com o tráfico de armas e de drogas

BBC

As cenas de violência que chocaram os Estados Unidos no domingo, quando nove pessoas morreram e 18 ficaram feridas após um tiroteio em um restaurante em Waco, no Texas, voltaram a chamar atenção para as gangues de motociclistas no país.

Domingo: Briga entre gangues de motoqueiros deixa nove mortos em restaurante

Policiais falam com homem perto do estacionamento de um restaurante no Texas (17/05)
AP
Policiais falam com homem perto do estacionamento de um restaurante no Texas (17/05)



O incidente nos EUA teria ocorrido durante um encontro entre gangues rivais para resolver uma "disputa territorial". Mais de 30 armas teriam sido usadas no tiroteio, que, segundo testemunhas, parecia uma "zona de guerra". Quase cem pessoas foram presas pela polícia e pelo menos uma centena de armas de fogo apreendida.

Na mira das autoridades e alvo de acusações de envolvimento com o crime organizado, as gangues também são um fenômeno cultural há décadas explorado no cinema e na TV. E sua capacidade de causar problemas também não é de hoje. Veja abaixo cinco fatos notórios sobre a subcultura das gangues de motoqueiros criminosas nos EUA:

'Máfia sobre rodas'

"Clubes" de motociclistas existem nos EUA desde 1903, reunindo entusiastas por motos. Mas, segundo um estudo do FBI, a polícia federal americana, há mais de 300 dedicados especificamente a atividades criminosas, variando do tráfico de drogas e armas a extorsão e lavagem de dinheiro.

O Departamento de Justiça lista oito delas como organizações extremamente sofisticadas e perigosas. E a lista inclui a Bandidos, uma das gangues que esteve envolvida no tiroteio em Waco.

Segundo o FBI, algumas organizações têm contingente que não chega a 10 pessoas. Outras, como o Hell's Angels, um dos mais famosos e polêmicos grupos de motoqueiros do mundo, contam com milhares de membros em dezenas de países.

Curiosamente, um estudo publicado em 2013 pelo FBI mostrava o Estado americano do Texas como uma área relativamente segura em termos de atividades mais intensas de gangues de motoqueiros. 

Minoria

De acordo com as autoridades americanas, apenas 2,5% de integrantes de grupos criminais organizados nos EUA estão nas gangues de motoqueiros, mas uma em cada 10 jurisdições policiais do país consideram suas atividades uma séria ameaça para a seguranças de suas regiões. 

As próprias gangues "fora da lei" se orgulham de serem vistas como "minoria": diversas adotaram o "1%" a seus emblemas, em alusão a um famoso comentário da Associação Americana de Motociclismo de que "99% dos motoqueiros do país obedecem à lei".

Histórico

Desde 1947 há registros de desordem ou crime promovidos pelas gangues. Naquele ano, especificamente, um desfile de motos na cidade de Hollister, na Califórnia, foi marcado por brigas e vandalismo. Em 2010, a gangue Vagos foi acusada de tramar atentados contra policiais, incluindo um possível uso de uma tubulação de gás para explodir uma delegacia.

Porém, o mais famoso caso envolvendo motoqueiros ocorreu em 1969, também na Califórnia, quando os Hell's Angels foram acusados de envolvimento na morte de um jovem membro da plateia em um festival de rock encabeçado pelos Rolling Stones. Eles teriam sido contratados por organizadores para ajudar na segurança do evento.

Infiltrações

As gangues de motoqueiros são um território complexo para as forças policiais americanas e umas das poucas chances de pegá-las em flagrante é com o uso de agentes infiltrados.

Foram usados agentes policiais ou ex-presidiários, como Charles Falco, que ganhou notoriedade nos EUA ao conseguir penetrar três das mais perigosas gangues do país e contribuir para a prisão de mais de 62 pessoas por crimes que incluíram assassinatos.

Ele chegou a ter de aturar um período na prisão para proteger sua identidade e a operação policial.

Fascínio

Apesar da preocupação das autoridades, as gangues de motoqueiros e sua imagem "rebelde" foram fontes de inspiração para muitos americanos - e a indústria do entretenimento.

A baderna de 1947 em Hollister, por exemplo, serviu de inspiração para O Selvagem, filme de 1953 que teve Marlon Brando em um de seus papéis mais icônicos - o uso de longas costeletas para seu personagem, o líder de uma gangue de motociclistas, por exemplo, serviu de inspiração para o "visual" de Elvis Presley.

Mais recentemente, o seriado americano Filhos da Anarquia, retratando a vida de uma gangue de motoqueiros envolvida nas mais variadas atividades criminais, foi sucesso de público e crítica, durando sete temporadas e conquistando fãs também no Brasil.

Leia tudo sobre: texaseua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas