Morre menina chilena que havia apelado a presidente por eutanásia

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Valentina sofria de fibrose cística, doença hereditária e degenerativa que afeta pulmões, fígado e pâncreas

BBC

A adolescente chilena Valentina Maureira, que ganhou notoriedade internacional ao pedir à presidente do país, Michelle Bachelet, autorização para cometer suicídio assistido, morreu nesta quinta-feira no Hospital Clínico de Santiago de complicações causadas por uma doença grave.

Desde os oito anos de idade Valentina sofria de fibrose cística, uma doença hereditária e degenerativa que afeta os pulmões, fígado e pâncreas.

A doença também matou seu irmão aos seis anos de idade.

Depois da publicação de vídeo com apelo, a própria presidente Bachelet foi visitar Valentina no hospital
AP
Depois da publicação de vídeo com apelo, a própria presidente Bachelet foi visitar Valentina no hospital

"São 14 anos de luta, dia a dia, e para minha família foi mais. Estou cansada de continuar lutando, porque vejo o mesmo resultado sempre. Estou muito cansada", disse Valentina em fevereiro, falando à BBC do hospital, por telefone.

"Você é uma grande lutadora, mas como você mesma disse, 'perdeu a batalha'", escreveu sua irmã Karime em seu perfil no Facebook.

"Obrigada por cada momento de alegria e felicidade que você deu a mim e a muitas pessoas com quem compartilhou."

O caso dela ficou conhecido depois que ela pediu autorização à presidente chilena para praticar o suicídio assistido - proibido no país, assim como a eutanásia.

Leia mais:

Chilena que pediu para morrer diz ter mudado de opinião após repercussão do caso

Governo do Chile nega a adolescente de 14 anos pedido para morrer

De seu leito no hospital, Valentina gravou e publicou na internet um vídeo pedindo à presidente chilena, Michelle Bachelet, que autorizasse a aplicação de uma injeção letal. O vídeo fez tanto sucesso que a própria Bachelet foi visitar a adolescente.

Apesar disso, o governo chileno rejeitou o pedido, conforme a lei.

Após o episódio, Valentina disse que tinha mudado de ideia por causa das reações ao seu vídeo compartilhado nas redes sociais.

Segundo a jovem, sua família também ficara comovida com o caso de um jovem que sobreviveu à doença, vivendo mais do que 20 anos.

Valentina sofria de fibrose cística, uma doença hereditária e degenerativa que afeta os pulmões, fígado e pâncreas
Reprodução
Valentina sofria de fibrose cística, uma doença hereditária e degenerativa que afeta os pulmões, fígado e pâncreas


Leia tudo sobre: eutanásiacriançachilenapresidente

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas