Ministério do Interior informou que ao menos 37 pessoas já foram encontradas mortas e que mais de 1.100 estão feridas

Menos de um mês depois do terremoto que deixou mais de oito mil mortos, o Nepal foi atingido novamente por um tremor de terra de 7,3 graus na escala Richter na madrugada nesta terça-feira (12), de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

O Ministério do Interior do Nepal informou que ao menos 37 pessoas foram encontradas mortas e que mais de 1.100 estão feridas. Contudo, esse número ainda deve aumentar, já que moradores de Katmandu também sofreram com deslizamentos de terra e desabamentos, e alguns se encontram sob os escombros.

Um edifício no distrito de Chautara desabou e matou ao menos quatro pessoas. O aeroporto internacional foi fechado temporariamente por precaução.

"As pessoas correram para as ruas. O medo é muito grande. Não é possível avaliar os danos", relatou a coordenadora da ONG italiana GVC, Erica Beuzer.

O Parlamento do Nepal estava em sessão no momento do tremor. Assustados, os legisladores correram para as saídas do prédio, que balançava muito e tinha as luzes piscando a todo momento.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o terremoto teve o epicentro perto da cidade de Namche Bazar, nas cercanias do Monte Everest, a cerca de 85 km da capital nepalesa, Katmandu. Ele teria ocorrido a 19 km de profundidade.

Meia hora mais tarde, um tremor secundário de magnitude 6,3 foi detectado no distrito de Ramechap.

Uma TV nepalesa registrou o momento em que o terremoto atingiu o país. As imagens mostram pessoas deixando o Parlamento, em Kathmandu. Assista ao vídeo:


Profundidade

O epicentro foi mais profundo que o do tremor de 25 de abril - tremores mais "rasos" tendem a causar mais danos na superfície.

Ainda não há informações sobre vítimas, mas segundo a ONU há relatos de desabamentos.

O tremor também foi sentido na capital da Índia, Nova Déli, onde prédios tremeram por mais de 1 minuto, e na capital de Bangladesh, Daca. Segundo o Ministério do Interior da Índia, pelo menos 16 pessoas morreram após telhados e paredes desabarem sobre elas. A imprensa chinesa relatou uma morte no Tibete.

Em Katmandu, milhares de pessoas saíram às ruas, em pânico. Segundo o governo, três foram resgatados e outros nove foram colocados em segurança.

Já o terremoto de 25 de abril teve magnitude 7,8 (liberando uma energia mais de 5 vezes maior que o desta terça-feira), e, segundo a ONU, destruiu mais de 70 mil casas e edifícios. Um terremoto de 7,3, ainda que mais fraco, tem o potencial para causar estragos significativos em estruturas e provocar deslizamentos de terra e avalanches.

Pacientes de um hospital em Katmandu são evacuados por causa do segundo terremoto
BBC Brasil
Pacientes de um hospital em Katmandu são evacuados por causa do segundo terremoto


Os esforços de ajuda humanitária para o primeiro terremoto ainda estão em andamento, tanto que o exército nepalês apenas esta semana conseguiu chegar a algumas das áreas mais remotas no país - o Nepal está localizado em terreno majoritariamente montanhoso.

Na semana passada, a ONU se queixou de ter recebido apenas US$ 22 milhões dos mais de US$ 400 milhões necessários para as operações.

Mais de 2 milhões de pessoas ainda estão desabrigadas.

* Com BBC, Ansa e AP




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.