Aviões de brinquedo geram preocupação com segurança na Arábia Saudita

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ao lado de outros estados do Golfo, país tem limitado importação de brinquedos; proliferação de drones pelo mundo é o principal motivo para o temor, segundo jornais locais

BBC

A partir de agora, pessoas que quiserem trazer aviõezinhos ao país precisarão de autorização
Reprodução
A partir de agora, pessoas que quiserem trazer aviõezinhos ao país precisarão de autorização

A Arábia Saudita e outros estados do Golfo estão limitando a importação de aviões de brinquedo para as crianças por causa de preocupações com a segurança.

Por trás do temor, está a semelhança com os drones, veículos aéreos não tripulados. Os governos estão preocupados com o risco de que as pequenas aeronaves, acopladas com câmeras, possam ser usadas para fotografar zonas sensíveis e bases militares, informou o site de notícias Arab News.

Apesar de não haver atualmente uma proibição à importação de aviões de brinquedo, a alfândega saudita disse que, por controles mais rígidos, pessoas que queiram trazer esses objetos para o país precisam obter uma permissão do Ministério do Interior a partir de agora.

Leia também:
Rei da Arábia Saudita morre aos 90 anos
Ataques da Arábia Saudita destroem avião de companhia aérea do Iêmen
Rei da Arábia Saudita anuncia direito de voto às mulheres

De acordo com a determinação, passageiros chegando ao reino vão ter de entregar brinquedos de metal para serem inspecionados. No vizinho Bahrain, autoridades afirmam que as medidas foram implementadas por "precaução", mas nenhum item foi apreendido até agora.

Um especialista de segurança elogiou a iniciativa, explicando que os controles sobre os chamados "brinquedos de guerra" são necessários para neutralizar ameaças de grupos terroristas atuando no Golfo.

As novas medidas ocorrem durante um período de elevada tensão na região, com conflitos na Síria, Iraque e Iêmen.

Na semana passada, moradores de Dubai foram alertados para não tirar fotos de aviões ou aeroportos sem permissão, "para garantir a segurança dos passageiros, empregados e acionistas", informou o jornal local "The National".

Entusiastas dos aviõezinhos reagiram com desânimo, alegando que as autoridades não entendem seu hobby.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas