Brasil e Ucrânia negociam saída de brasileiro de área de conflito

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo o Itamaraty, Freitas pediu apoio da embaixada para sair da zona de conflito, pois não tem os documentos necessários para retornar ao Brasil

Agência Brasil

A Embaixada do Brasil em Kiev solicitou ao governo ucraniano que facilite a saída do brasileiro Cláudio Freitas, acompanhado da mulher ucraniana e do filho menor de idade, da cidade de Luhansk, localizada no Leste do país e controlada há cerca de um ano por separatistas pró-Rússia que estão em guerra com as tropas do governo da Ucrânia.

Leia também:

Militante brasileiro na Ucrânia fica gravemente ferido durante missão em Donetsk

De acordo com o Itamaraty, Freitas pediu apoio da representação diplomática brasileira para sair da zona de conflito, pois não tem os documentos necessários para retornar ao Brasil. A embaixada está cuidando dos trâmites burocráticos para emissão de um novo passaporte e solicitou ao brasileiros mais informações sobre a esposa, para que possa também ser emitido um visto para ela deixar o país de origem.

Inicialmente, a intenção das autoridades diplomáticas brasileiras em Kiev é agilizar os procedimentos necessários para que Cláudio Freitas deixe a área de conflito armado entre as forças separatistas das autodeclaradas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk e o governo ucraniano, rumo à capital do país. Depois disso, o brasileiro e a família seguiriam para o Brasil.

Rússia protesta contra manifestação histórica na Ucrânia

Mar de bandeiras é vistad do lado de fora do Kremlin durante manifestação em Moscou (21/02). Foto: APHomens vestidos com Cossacs participam de comício do lado de fora do Kremlin em Moscou (21/02). Foto: APRussa ouve atentamente o pronunciamento de ativista perto de praça em Moscou, Rússia (21/02). Foto: APAtivistas com a placa "Não haverá Maidan na Rússia" são vistos nos arredores de Moscou, Rússia (21/02). Foto: APMulher segura cartaz com os dizeres "Je suis Donbass" durante comício do lado de fora do Kremlin em Moscou (21/02). Foto: AP


Leia tudo sobre: Ucrâniabrasilconflitobrasileiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas