União Europeia, França e Austrália pedem suspensão de fuzilamentos à Indonésia

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Não é tarde para mudar de opinião, disseram os representantes no comunicado divulgado pela Embaixada australiana no país

Agência Brasil

A União Europeia (UE), França e Austrália pediram nesta terça-feira (28) à Indonésia para não executar os oito estrangeiros condenados à morte, de acordo com uma declaração conjunta. 

Entenda: Drogas e bipolaridade marcaram adolescência de brasileiro na Indonésia

Condenado à execução na Indonésia passa por jornalistas em ilha-prisão (Arquivo)
AP
Condenado à execução na Indonésia passa por jornalistas em ilha-prisão (Arquivo)

Procuradoria: Brasileiro não tem mais direito a recurso na Indonésia

"Os governos da Austrália, da França e da UE pedem ao presidente [Joko] Widodo que pare as execuções previstas. Não é tarde para mudar de opinião", disseram, no comunicado divulgado pela Embaixada da Austrália em Jacarta.

O presidente indonésio, Joko Widodo, determinou a execução dos oito estrangeiros – o brasileiro Rodrigo Gularte, dois australianos, quatro nigerianos e uma filipina – condenados por tráfico de drogas.

O grupo de condenados à morte inclui um indonésio e um francês que continua no corredor da morte, enquanto aguardam uma decisão sobre o recurso apresentado.

Veja quem são os condeandos à pena capital no país asiático

Okwudili Oyatanze é nigeriano de 45 anos e foi condenado por traficar 1kg de heroína através do aeroporto de Jacarta em 2001. Foto: ReproduçãoZainal Abidin é o único cidadão indonésio entre os detentos. Ele foi preso em dezembro de 2000 . Foto: ReproduçãoSylvester Obiekwe Nwolise é nigeriano e tem 49 anos. Foi condenado em 2004 por traficar 1,2kg de heroína em Jacarta . Foto: ReproduçãoAnderson é cidadão de Gana nascido em Londres em 1964. Ele foi preso em Jacarta em 2003. Foto: ReutersMary foi considerada culpada por tentar traficar 2,6kg de heroína. Foto: Reprodução/BBCChan é australiano e junto com Sukumaran foi condenado à morte em 2006 por pertencer ao "Os Nove de Bali". Foto: Reprodução/BBCSukumaran, 33, foi considerado chefe do grupo "Os Nove de Bali". Foto: Reprodução/BBCRodrigo Gularte foi condenado à morte em 2005 por chegar à Indonésia com seis quilos de cocaína. Foto: Reprodução/FacebookO nigeriano Raheem Agbaje Salami foi preso com 5kg de heroína no aeroporto de Surabaya em setembro de 1998. Foto: Reprodução/Youtube

Galeria: Veja o desespero das famílias na despedida aos condenados na Indonésia

"Ao apresentarmos esta petição pedimos à Indonésia para refletir sobre o impacto desta posição no mundo e na reputação internacional do país. Apoiamos os esforços da Indonésia para obter clemência para os seus cidadãos no exterior. Parar essas execuções ajudará esses esforços", ressalta a declaração.

"Respeitamos totalmente a soberania da Indonésia. Mas somos contra a pena de morte nos nossos países e no exterior. Essas execuções não terão efeito de diminuir o tráfico de drogas ou impedir outros de serem vítimas da dependência de drogas”, informa o comunicado.

Hoje: Caixões vazios chegam a ilha-prisão da Indonésia antes de fuzilamentos

O apelo foi divulgado quando a Indonésia termina as preparações para executar os condenados. Ambulâncias já chegaram ao estabelecimento prisional com caixões e as últimas visitas de familiares foram feitas.

Leia tudo sobre: execucoes na indonesiaindonesiagularte

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas