Segundo advogado, Mary Jane Veloso acabou sendo poupada do fuzilamento; brasileiro Rodrigo Gularte está entre fuzilados

Um advogado de Mary Jane Veloso, uma das condenadas à morte por tráfico de drogas na Indonésia, disse a repórteres em Cilacap que a filipina foi poupada nesta terça-feira (28). 

Hoje: Indonésia fuzila brasileiro condenado por tráfico de drogas

Os pais de Mary Jane Veloso agradecem pela soltura da filha
Reprodução/Twitter
Os pais de Mary Jane Veloso agradecem pela soltura da filha

Cenário: Reação a fuzilamento pode custar caro à economia brasileira, diz embaixador

"Estamos trabalhando para confirmar essa informação", disse um deles em entrevista ao jornal local "The Jakarta Post". 

Os advogados que lutam para adiar a morte de Mary Jane, uma empregada doméstica e mãe de dois filhos, disseram que desistiram da proposta depois de sua segunda revisão legal ter sido rejeitada pela Indonésia na segunda-feira (27). Isso ocorreu apesar de um apelo pessoal de última hora de Presidente das Filipinas, Benigno Aquino, ao homólogo indonésio Joko Widodo, informou a CNN.

A confirmação oficial pode levar algum tempo, mas duas estações de televisão indonésias, além do Jakarta Post, relatam que a mulher está viva. Mary Jane Fiesta Veloso teria sido poupada porque foi vítima de tráfico humano e não estava ciente de que estaria levando drogas quando chegou à Indonésia. Na terça, a CNN Filipinas informou que os recrutadores de Mary Jane, Maria Kristina Sergio e seu parceiro, Julius Lacanilao, se entregaram às autoridades.

Já o brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte , de 42 anos, e outros sete condenados, seis deles estrangeiros e um indonésio, não tiveram a mesma sorte. Eles foram fuzilados às 0h30 - horário local - de acordo com porta-voz do procurador-geral indonésio, Tony Spontana.

Apesar de ter sido diagnosticado com esquizofrenia, o paranaense não teve a pena revista pela justiça da Indonésia. Gularte passou as últimas horas na penitenciária de Nusakambangan, na ilha de Java. Antes de ser fuzilado, ele recebeu a visita da prima Angelita Muxfeldt.

Perfil: Drogas e bipolaridade marcaram adolescência de brasileiro na Indonésia

Outro condenado, o francês Serge Atlaoui, de 51 anos, foi retirado dessa lista de execuções no sábado devido a um recurso que está tramitando na Justiça indonésia. Entretanto, Spontana reafirmou que, caso o recurso seja rejeitado, Atlaoui será executado sozinho e as autoridades não esperarão "muito tempo".

Galeria:  Veja o desespero das famílias na despedida aos condenados à morte 

Dois dos australianos executados - Myuran Sukumaran e Andrew Chan - faziam parte do Bali Nine. Os corpos deles serão enviados para a Austrália para serem sepultados. Um oficial da polícia de Cilacap disse que após os fuzilamentos, orações foram feitas para cada um dos presos de acordo com seus respectivos países. "As execuções ocorreram bem, sem interrupções", disse a fonte. 

Tristeza: Prima de brasileiro condenado à morte chega a local das execuções

Gularte foi condenado à morte em 2005, um ano após ter sido preso ao tentar entrar na Indonésia com 6 kg de cocaína em pranchas de surfe.

O presidente indonésio, Joko Widodo, está implementando uma linha dura contra os traficantes de drogas no país e se recusa a desistir das execuções. Mesmo assim, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon pediu, no domingo (26) para o governo indonésio não executar os nove presos, reiterando a tradicional oposição da instituição à pena capital.

*Com The Jakarta Post, Agência Brasil e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.