Estado Islâmico mata cinco jornalistas de rede de TV líbia

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Os corpos foram encontrados perto da cidade de Bayda, oito meses depois que eles foram sequestrados no leste do país

AP

Cinco membros de uma equipe de TV da Líbia foram encontrados mortos nesta segunda-feira (27), oito meses depois que eles foram sequestrados no leste do país, disse Al-Aribi, porta-voz do governo.

Os corpos foram encontrados perto da cidade oriental de Bayda, a casa temporária do governo internacionalmente reconhecido da Líbia.

Desde agosto do ano passado, centenas de milhares de pessoas foram deslocadas, as missões diplomáticas têm abandonado a capital e várias cidades foram fortemente danificadas.  A capital, Trípoli, foi invadida no ano passado por milícias aliadas das facções islâmicas.

Em meio ao caos, o grupo extremista Estado Islâmico estabeleceu uma forte presença nas cidades de Darna e Sirte. O grupo tem capturado e decapitado dezenas de trabalhadores e migrantes cristãos nos últimos meses.

Lembre os decapitados pelo Estado Islâmico no Iraque

Kayla Mueller, refém norte-americana do Estado Islâmico, morreu na terça-feira (10 de fevereiro); segundo o grupo terrorista ela teria sido vítima de um bombardeio da Jordânia na Síria . Foto: APEstado Islâmico divulga vídeo onde suposto piloto jordaniano é queimado vivo em gaiola, no dia 3 de fevereiro. Foto: Reprodução/TwitterO jornalista japonês Kenji Goto foi morto pelos extremistas do Estado Islâmico no dia 30 de janeiro. Ele havia viajado para a Síria visando libertar o refém Yukawa. Foto: APImagem obtida por meio de vídeo do Estado Islâmico mostra o japonês Haruna Yukawa (à dir.), que foi decapitado em 24 de janeiro. Ele foi à Síria por ser fascinado por guerras. Foto: APO americano Peter Kassig foi identificado como o homem decapitado pelo Estado Islâmico em 16 de novembro de 2014. Ele era voluntário na Síria. Foto: ReutersNo dia 3 e outubro de 2014, o voluntário inglês Alan Henning foi decapitado pelos terroristas do Estado Islâmico. Foto: Reprodução/YoutubeVídeo mostra decapitação do refém britânico David Haines, que era voluntário na Síria e foi morto em 13 de setembro de 2014. Foto: ReutersImagem feita a partir de vídeo postado na internet pelo Estado Islâmico mostra jornalista americano Steven J. Sotloff antes de ser decapitado, no dia 2 de setembro de 2014. Foto: APInsurgentes do grupo jihadista Estado Islâmico divulgaram a decapitação do jornalista americano James Foley em 19 de agosto de 2014. Foto: Reprodução/Youtube



Leia tudo sobre: estado islamico

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas