Atividade vulcânica no Calbuco foi a primeira em mais de 42 anos; cidade de Ensenada foi esvaziada sob alerta de perigo

O vulcão Calbuco entrou em erupção pela primeira vez em mais de 42 anos na madrugada desta quinta-feira (23), formando uma enorme nuvem de cinzas sobre uma área montanhosa pouco povoada no sul do Chile.

Março:  Vulcão entre em erupção no Chile e 3,5 mil deixam suas casas

Autoridades ordenaram a saída de 1.500 habitantes da cidade vizinha de Ensenada junto aos moradores de duas comunidades menores. O Serviço Nacional de Mineração e Geologia emitiu um alerta elevado, impedindo o acesso à área em torno do vulcão, que fica perto das cidades de Puerto Varas e Puerto Montt, um pouco mais de 1 mil quilômetros ao sul da capital Santiago.

"Para nós foi uma surpresa", disse Alejandro Verges, diretor de emergência regional da região de Los Lagos, onde a erupção ocorreu. Ele disse que Calbuco não estava sob qualquer forma especial de observação.

As autoridades disseram que uma grande quantidade de cinzas foi observada, mas sem pedras quentes ou lava. Não houve feridos.

Por causa disso, o governo chileno decretou uma "zona de exceção" para as cidades de Puerto Octay e para a província de Llanquihue. Também está proibida a realização de voos na área atingida e as aulas na região estão suspensas.

Segundo o ministro do Interior, Rodrigo Peñailillo, a erupção teve nível "4 a 5" em uma escala que segue até oito. O jornal "La Nacion" informa que um homem de 21 anos está desaparecido por causa do incidente e que as autoridades estão esperando um "cenário mais complexo" nas próximas horas, já que há um acúmulo de material na parte alta da estrutura.

Nos últimos dias, as atenções dos chilenos estavam voltadas para o "despertar" de outro vulcão, o Villarrica, também no sul do país. O Chile tem a segunda maior cadeia vulcânica do mundo, com cerca de 90 vulcões.

*Com AP e Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.