Bombardeio deixa líder do Estado Islâmico gravemente ferido

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Ataque foi realizado pela coalizão internacional em março; ele já estaria em recuperação e retornando às atividades

O líder e califa do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, ficou gravemente ferido durante um bombardeio realizado em março pela coalizão internacional liderada pelas forças norte-americanas, informou nesta terça-feira (21) o jornal "The Guardian".

Líder e califa do Estado Islâmico (EI, ex-Isis), Abu Bakr al-Baghdadi
Reprodução/The Guardian (21.04.15)
Líder e califa do Estado Islâmico (EI, ex-Isis), Abu Bakr al-Baghdadi

Citando fontes iraquianas, o diário britânico afirma que o ferimento do califa teria colocado sua vida em risco. No entanto, ele já estaria em recuperação e retomando suas atividades "lentamente", apesar de não estar à frente do Estado IsIâmico em nível operativo internacional.

Um diplomata ocidental e um funcionário do governo do Iraque confirmaram que um bombardeio no dia 18 de março atingiu um comboio suspeito de três veículos na região de al'Baaji, no distrito de Nínive, perto da Síria.

Leia também: Veja os números da guerra contra o Estado Islâmico

No ano passado, várias notícias foram divulgadas sobre possíveis ferimentos de Baghdadi. Em uma delas, em novembro, havia boatos de que o líder do EI tivesse sido morto. Todas as informações foram desmentidas posteriormente.

Kayla Mueller, refém norte-americana do Estado Islâmico, morreu na terça-feira (10 de fevereiro); segundo o grupo terrorista ela teria sido vítima de um bombardeio da Jordânia na Síria . Foto: APEstado Islâmico divulga vídeo onde suposto piloto jordaniano é queimado vivo em gaiola, no dia 3 de fevereiro. Foto: Reprodução/TwitterO jornalista japonês Kenji Goto foi morto pelos extremistas do Estado Islâmico no dia 30 de janeiro. Ele havia viajado para a Síria visando libertar o refém Yukawa. Foto: APImagem obtida por meio de vídeo do Estado Islâmico mostra o japonês Haruna Yukawa (à dir.), que foi decapitado em 24 de janeiro. Ele foi à Síria por ser fascinado por guerras. Foto: APO americano Peter Kassig foi identificado como o homem decapitado pelo Estado Islâmico em 16 de novembro de 2014. Ele era voluntário na Síria. Foto: ReutersNo dia 3 e outubro de 2014, o voluntário inglês Alan Henning foi decapitado pelos terroristas do Estado Islâmico. Foto: Reprodução/YoutubeVídeo mostra decapitação do refém britânico David Haines, que era voluntário na Síria e foi morto em 13 de setembro de 2014. Foto: ReutersImagem feita a partir de vídeo postado na internet pelo Estado Islâmico mostra jornalista americano Steven J. Sotloff antes de ser decapitado, no dia 2 de setembro de 2014. Foto: APInsurgentes do grupo jihadista Estado Islâmico divulgaram a decapitação do jornalista americano James Foley em 19 de agosto de 2014. Foto: Reprodução/Youtube


Leia tudo sobre: estado islâmicoEl

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas