Estado Islâmico reivindica autoria de ataque que deixou 33 mortos no Afeganistão

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Informação foi anunciada pelo presidente Ashraf Ghani; se confirmado, será o 1º atentado do grupo terrorista no país

Agência Brasil

Homem ferido caminha entre escombros e cadáveres de ataque terrorista em Jalalabad
AP
Homem ferido caminha entre escombros e cadáveres de ataque terrorista em Jalalabad

O Estado Islâmico reivindicou o atentado suicida que deixou ao menos 33 mortos e mais de uma centena de feridos em Jalalabad, no Afeganistão, neste sábado (18). A informação foi informada em discurso pelo presidente do país asiático, Ashraf Ghani. 

Ashraf Ghani afirma em discurso que ataque não foi de autoria do Taleban, neste sábado
AP
Ashraf Ghani afirma em discurso que ataque não foi de autoria do Taleban, neste sábado

“Quem reivindicou este atentado? Não foram os talebans, não. Foi o Estado Islâmico que reivindicou o ataque”, disse ele.

Se confirmadas as informações divulgadas pelas autoridades, este será o primeiro atentado do Estado Islâmico no território afegão.

Um homem que se apresenta como porta-voz da organização extremista garante que, de fato, é do EI a responsabilidade pela matança, ocorrida em dia de pagamento em frente a um banco em Jalalabad. O autor do ato foi um homem-bomba, que estava em uma moto ao se explodir. 

Leia mais:
Adolescente de 17 anos é crucificado pelo Estado Islâmico na Síria
Mapas explicam estratégia do Estado Islâmico na Síria e Iraque

O diretor do hospital da província de Nangarhar, cuja capital é Jalalabad, Najeebullah Kamawal, disse que chegaram à unidade corpos de 33 pessoas e mais de 100 feridos ao longo deste sábado. Antes, as notícias davam conta de 22 mortos e 50 feridos.

Segundo o chefe da polícia da província de Nangarhar, Fazal Ahmad Shirzad, a explosão ocorreu no exterior de um banco onde funcionários do governo recebiam seus salários.

Estado Islâmico é o mais rico dos grupos terroristas; saiba quais vêm depois:

O Estado Islâmico é a organização terrorista mais rica do mundo. Com recursos vindos de crimes e do petróleo, os militantes administram até US$ 2 bilhões anuais. Foto: APAtuando na Faixa de Gaza, o Hamas - considerado terrorista pelo FBI -  tem renda anual de ao menos US$ 1 bilhão. Foto: Reprodução/YoutubeMilitantes das FARC, Forças Armadas Revolucionária da Colômbia, atua no país há mais de 50 anos com renda anual de até US$ 600 milhões. Foto: Reprodução/YoutubeO Hezbollah, que significa 'Partido de Deus', surgiu após invasão e ocupação do Líbano em 1982 por Israel. Grupo tem renda anual de US$ 500 milhões. Foto: Reprodução/YoutubeO movimento Taleban governou o Afeganistão de 1996 a 2001 e hoje tem renda estimada em US$ 400 milhões vindos principalmente do tráfico de drogas. Foto: Reprodução/YoutubeUma das organizações terroristas mais letais do mundo, a Al-Qaeda atua com cerca de US$ 150 milhões anuais. Foto: Wikemedia CommonsLashkar-e-Taiba, ou 'Exército dos justos', é um grupo radical islâmico paquistanês que atua no sudeste da Ásia com renda de até US$ 100 milhões ao ano. Foto: Reprodução/YoutubeNa Somália, a Al-Shabab é a maior organização militante do país e foi fundada em 2006. Hoje atua com cerca de US$ 70 milhões ao ano. Foto: APO IRA Real, facção radical do IRA, foi criado por ativistas que se opõem ao acordo de paz de 1998 e tem renda anual de até US$ 50 milhões. Foto: Reprodução/YoutubeBoko Haram, que significa 'educação ocidental é pecado', atua na Nigéria com anuais US$ 52 milhões. Foto: Reprodução/Youtube


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas