Material obtido por revista de assuntos militares dos EUA revela atividades intensas de aterragem em arquipélago reivindicado

BBC

Imagens de satélite obtidas pela revista especializadas em assuntos militaresJane's Defence Weekly, mostram que a China está construindo uma pista de pouso nas Ilhas Spartly, no Mar do Sul da China.

Cenário:  Do alto, o avanço das controversas ilhas artificiais da China

Esta reprodução do estudo da Jane's mostra a construção da pista de pouso na Ilha Spartly
Reprodução/BBC
Esta reprodução do estudo da Jane's mostra a construção da pista de pouso na Ilha Spartly

As ilhas são alvo de uma disputa territorial entre os chineses e diversas outras nações asiáticas, incluindo o Vietnã e as Filipinas. Esses países acusam Pequim de fazer aterros para criar ilhas artificiais que poderiam ser usadas para fins militares. As Spratly são habitadas apenas por pessoal militar dos países que reivindicam soberania sobre elas.

E as imagens de satélite comprovam que pelo menos nas Ilhas Spartly houve trabalho de aterragem, mais especificamente numa área de recifes. Segundo estimavas da Jane's, a área disponível poderia abrigar uma pista com até 3 km de extensão. Há evidência de outras obras nas ilhas.

Aterros

O governo chinês diz que os trabalhos estão dentro da lei e são necessários para resguardar a soberania sobre as ilhas. A revista usou imagens captadas em fevereiro e em março, cedidas pela empresa Airbus Defence and Space.

Na mais recente, datada de 23 de março, uma parte pavimentada da pista de pouso já pode ser vista, bem como outros trechos já construídos. Há ainda evidências da ampliação das estruturas portuárias.

Segundo especialistas da Jane's, o comprimento da pista de pouso é compatível com os utilizados em bases da Força Aérea Chinesa. As imagens sugerem que a China pode estar construindo uma outra pista de pouso nas Spratly, em outro recife aterrado.

Países vizinhos têm demonstrado preocupação com o que consideram ser uma tentativa chinesa de militarizar o Mar do Sul da China para garantir suas reivindicações.

No ano passado, o governo filipino já havia alertado para possíveis construções nas Spratlys. E no início da semana, um outro relatório citou imagens de satélite para afirmar que a China estaria expandindo uma pista nas Ilhas Paracel, ao norte das Spratly, e cuja posse é reivindicada pelo Vietnã.

'Propósitos civis'

Na sexta-feira passada, os Estados Unidos acusaram a China de usar o "músculo" militar contra os vizinhos para afirmar sua presença na região.

"Os EUA não acreditam que os aterros em larga escala com objetivo de militarizar regiões de soberania disputada são consistentes com o desejo da região por paz e estabilidade", disse uma porta-voz do Departamento de Estado.

A China, porém, insiste que está agindo de acordo com seus direitos. Na quinta-feira, a agência de notícias estatal Xinhua divulgou um comunicado em que o governo afirma ter objetivos pacíficos com o trabalho de construção.

"A atividade chinesa nas ilhas em sua grande maioria têm propósitos civis. Queremos proporcionar abrigo, auxílio à navegação, boletins meteorológicos e assistência à pesca para os navios de vários países que passam pela região".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.