Nas próximas horas, o suposto corpo da vítima de 72 anos passará por um exame de DNA para confirmar sua identidade

 O governo do Iraque anunciou nesta sexta-feira (17) que Izzat Ibrahim al Douri, ex-braço direito do ditador deposto Saddam Hussein, teria sido morto no norte do país enquanto combatia ao lado dos jihadistas do Estado Islâmico (EI).

Cenário:  Ex-número 2 de Saddam chama iraquianos a lutar contra Maliki

Izzat Ibrahim al Douri teria sido morto enquanto combatia ao lado do Estado Islãmico
Wikimedia Commons
Izzat Ibrahim al Douri teria sido morto enquanto combatia ao lado do Estado Islãmico

Crise:  Conflitos no Iraque evocam temores de nova guerra civil

Nas próximas horas, o suposto corpo da vítima passará por um exame de DNA para confirmar sua identidade. Douri tinha 72 anos e foi o homem forte do regime de Saddam até a invasão conduzida pelos Estados Unidos em 2003.

Ele havia sido o mais alto oficial iraquiano a escapar da prisão após a derrubada do ex-ditador. Foragido, o ex-general continuou liderando grupos insurgentes contra as forças de ocupação e o atual governo do país, até que se juntou ao EI.

Fuga

Enquanto isso, em Ramadi, região central do Iraque, dezenas de milhares de civis iniciaram uma fuga em massa da cidade, que está cercada pelos jihadistas e sendo intensamente bombardeada.  Testemunhas dizem que as pessoas estão indo de carro ou a pé para Khalidiya, a 25 km de distância, e depois a Bagdá, a 100 km.

Os moradores em fuga também temem que as forças do governo, em represália ao Estado Islâmico, atinjam casas situadas em bairros conquistados pelo grupo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.