Naufrágio ocorreu por fatores como excesso de peso e incompetência da tripulação; 450 estavam a bordo

Há um ano do naufrágio da balsa Sewol na Coreia do Sul, a presidente do país, Park Geun-hye, afirmou nesta quinta-feira (16) que seu governo irá retirar a embarcação que está a 40 metros de profundidade.

Na semana passada, o Congresso sul-coreano aprovou, quase por unanimidade, a operação para a retirada dos restos do barco. Ao todo, a ação custará US$ 110 milhões.

Leia também:

Dono de balsa naufragada na Coreia do Sul é encontrado morto, segundo a polícia
Presidente da Coreia do Sul chora ao se desculpar por naufrágio da balsa Sewol

Porém, mesmo com o anúncio da medida, os parentes das 304 vítimas protestaram fortemente contra o governo local. Segundo eles, nada mudou desde a tragédia e nenhuma medida de segurança foi tomada para evitar que fatos como esse se repitam.

O naufrágio da balsa ocorreu por múltiplos fatores, de acordo com as investigações, como excesso de peso e incompetência da tripulação. O capitão do barco, Lee Jun-seok, foi condenado a 36 anos de prisão pelo incidente e outros membros de sua tripulação pegaram de 15 a 30 anos de detenção.

Ao todo, 450 pessoas estavam a bordo da embarcação no dia 16 de abril de 2014. As buscas pelos corpos das vítimas foram encerradas em novembro do ano passado, mesmo não tendo sido localizados nove corpos. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.