Ação é resposta à morte de 11 militares na operação atribuída ao grupo guerrilheiro; outros 17 soldados ficaram feridos

Um guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreu e outros nove foram capturados em duas operações lançadas pelo governo após o ataque que matou 11 soldados na região de Cauca, colocando em risco o processo de paz iniciado pelo presidente Juan Manuel Santos.

Cenário:

Ataque das Farc mata dez soldados e fere outros 17 na Colômbia
Instituto colombiano pede às Farc o fim do recrutamento de menores de idade

O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, durante uma visita a uma unidade militar a qual pertenciam os militares mortos pelo grupo.

Santos autorizou nesta quarta-feira (15) a realização de ataques aéreos contra as Farc. A ação é resposta à morte dos militares na operação atribuída ao grupo guerrilheiro, quando outros 17 soldados ficaram feridos.

Em sua conta no Twitter, Santos lamentou o episódio. "Esta é precisamente a guerra que queremos acabar", apontou, referindo-se às negociações de paz realizadas em Havana.

Representantes das Farc e de Bogotá deram início no final de 2012 aos diálogos. Esta não é a primeira vez que o governo colombiano tenta um acordo com o grupo e especialistas temem que delicado processo possa ser afetado por episódio de violência.

Veja os dez grupos terroristas mais ricos do mundo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.