O trabalhador não ficou ferido e explicou que adormeceu no compartimento de bagagens; voo levava 170 passageiros

BBC

Um avião da Alaska Airlines fez um pouso de emergência na cidade de Seattle, nos Estados Unidos, após um funcionário ter ficado preso no bagageiro. O piloto do voo 448, que viajava para Los Angeles, foi alertado pelo som de batidas vindas da "parte de baixo da aeronave", disse a empresa em comunicado.

Vídeo:  Avião sem combustível cai em mar dos EUA e piloto é salvo por paraquedas

Imagem de TV mostra momento em que funcionário é levado após ter ficado preso no bagageiro de aeronave
Reprodução/BBC
Imagem de TV mostra momento em que funcionário é levado após ter ficado preso no bagageiro de aeronave

2014:  Após acidente, bilionário diz que projeto de turismo espacial vai continuar

Já em terra, o funcionário saiu do compartimento, dizendo que teria adormecido. Ele foi levado por precaução a um hospital, de onde já foi liberado, disse a companhia. O Boeing 737 havia decolado de Seattle com 170 passageiros e estava no ar havia 14 minutos.

Segundo a empresa, o chefe de equipe havia percebido o desaparecimento do funcionário antes da partida da aeronave. Ele telefonou para o bagageiro e o celular do funcionário, mas não obteve resposta.

"Os colegas pensaram que ele tinha terminado seu trabalho e ido para casa", disse a Alaska Airlines.

A empresa disse que o funcionário começou seu trabalho às 5h e deveria terminá-lo às 14h30. Mas ele adormeceu no bagageiro.

O compartimento é pressurizado - e, portanto, permite que alguém sobreviva em altitude - e a temperatura é controlada. 

Uma passageira Marty Collins, disse a uma emissora de TV de Seattle que os ocupantes do avião não ouviram as batidas.

"Ninguém no avião ouviu nada, ninguém soube porque eles estavam voltando. Eles só disseram que nós estávamos bem e não estávamos sob risco".

Depois, segundo ela, os passageiros foram informados de que "havia alguém no bagageiro". O voo, então, seguiu para Los Angeles.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.