Favorita entre democratas, Hillary Clinton anuncia pré-candidatura nos EUA

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-primeira-dama norte-americada será a primeira mulher com chances reais de assumir a Presidência dos Estados Unidos

BBC

A ex-primeira-dama e ex-secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciou neste domingo sua pré-candidatura à Presidência americana, largando em posição de favoritismo dentro do Partido Democrata para as eleições de 2016.

O anúncio foi feito por seu asessor John Podesta, em um e-mail enviado a simpatizantes e doadores de sua campanha eleitoral anterior, e confirmado pela própria Hillary, que disse que quer ser a "campeã" do país no ano que vem.

Ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Rodham Clinton gesticula antes de discursar em evento de marketing em São Francisco (8/4)
AP
Ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Rodham Clinton gesticula antes de discursar em evento de marketing em São Francisco (8/4)

Principal aposta dos democratas para se manter no poder, ela será a primeira mulher com chances reais de assumir a Presidência dos EUA, caso sua nomeação de fato ocorra.

Hillary, 67, havia sido pré-candidata em 2007, mas perdeu por pouco a candidatura democrata para Barack Obama.

Desta vez, na ausência de concorrentes tão fortes, ela tem chances muito maiores de obter a nomeação de seu partido para enfrentar o candidato republicano - ainda a ser definido.

Uma das mulheres mais conhecidas dos EUA e do mundo, Hillary foi uma primeira-dama ativa durante o mandato de Bill Clinton, nos anos 1990, mas também enfrentou os traumas de ter encampado uma reforma de saúde que não deu certo e as investigações relacionadas ao caso extraconjugal do marido.

Ela superou politicamente os episódios e venceu uma eleição ao Senado americano em 2000. Mais tarde, serviu quatro anos como secretária de Estado de Obama, até 2013.

Um de seus desafios agora é se reconectar com os eleitores tradicionais americanos, após passar anos em um cargo diplomático.

E-mails
Recentemente, Hillary enfrentou críticas após a descoberta de que ela usou um endereço privado de e-mail no cargo ministerial e que parte das mensagens não foi entregue aos arquivos públicos, como é de regra.

A informação veio à tona após o conteúdo do e-mail pessoal de Hillary ter sido incluído na investigação feita por uma comissão do Congresso americano de um atentado à embaixada dos EUA na Líbia, em 2012.

Essa investigação também pode ser um problema para Hillary durante a campanha. Em 11 de setembro daquele ano - no primeiro dia de protestos violentos de islâmicos contra os EUA - grupos invadiram o prédio e mataram o embaixador dos EUA na Líbia, Christopher Stevens, e mais três diplomatas.

Em mais de uma ocasião, Hillary disse que era ela a responsável pela segurança no local.

Hillary, que é filha de um pequeno comerciante e uma dona de casa, cresceu no subúrbio de Chicago e conheceu Bill Clinton na Faculdade de Direito de Yale.

Dois discursos marcaram sua carreira e devem servir de pilar em sua segunda campanha.

Como primeira-dama, Hillary declarou, em 1995, perante a Conferência da ONU sobre Mulheres, que "direitos humanos são direitos das mulheres, e direitos das mulheres são direitos humanos", questionando abusos contra mulheres e dando o tom para sua atuação, mais tarde, como secretária de Estado, explica a agência Associated Press.

Em 2008, em discurso após a nomeação de Obama para a candidatura democrata, ela disse a seus apoiadores que eles haviam feito "18 milhões de rachaduras" no telhado de vidro, em referência ao número de votos que ela recebeu nas primárias e ao potencial de uma candidatura feminina à Casa Branca.

Republicanos
Do lado republicano, dois nomes já figuram entre os pré-candidatos: os senadores Ted Cruz, do Texas, ultraconservador, e Rand Paul, de Kentucky, um conservador libertário.

Mas muitos outros devem se candidatar à vaga, incluindo o ex-governador texano Jeb Bush - cujo pai e irmão já foram presidentes.

Se a eleição voltar a ser uma disputa entre um Clinton e um Bush - o primeiro duelo foi vencido por Bill Clinton em 1992 -, reviverá o debate sobre as poderosas dinastias políticas nos EUA.

Entre os democratas, as opções de candidaturas deverão ser menores. Hillary talvez dispute a nomeação com o ex-governador de Maryland Martin O'Malley e com o vice-presidente Joe Biden.

Muitos à ala mais esquerdista do partido defendem a candidatura da senadora de Massachusetts Elizabeth Warren, mas ela disse em entrevistas que não pretende concorrer.

Presidente dos EUA, Barack Obama, domina bola que havia sido chutada por robô Asimo em visita ao Museu Nacional de Ciência e Inovação (Miraikan), em Tóquio (24/4)
. Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, faz seu discurso sobre o Estado da União no Capitólio, em Washington (28/1). Foto: APObama segura menino durante dia do Natal em base dos marines no Havaí (25/12/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaPresidentes dos EUA, Barack Obama, e de Cuba, Raúl Castro, trocam aperto de mão em cerimônia em homenagem a Mandela (10/12/2013). Foto: Getty ImagesObama tira selfie com premiês britânico e dinamarquesa durante cerimônia em homenagem a Mandela em Johanesburgo (10/12/2013). Foto: Getty ImagesSul-africanos celebram enquanto Obama espera em túnel para entrar em estádio para homenagem a Mandela (10/12/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaMichelle Obama reage depois de Ashtyn Gardner perder o equilíbrio ao ser cumprimentada pelo cachorro Sunny (4/12/2013). Foto: APFuncionários fazem sinal positivo enquanto Obama conversa como secretário de Estado John Kerry sobre negociações para acordo com o Irã (23/11/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaBo espera enquanto Obama e primeira-dama participam de entrevista na Casa Branca (22/11/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaMenina conversa com Obama em lanchonete do Brooklyn, Nova York (25/10/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama é visto conversando depois de encontro na Casa Branca com a liderança democrata (15/10/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama visita centro de caridade em Washington (14/10/2013). Foto: APObama, primeira-dama Michelle e sua filha Malia reúnem-se com ativista paquistanesa Malala Yousafzai (12/10/2013). Foto: Pete Souza/Casa BrancaPresidente dos EUA é visto em carro 
passando por empregados de fábrica da Ford em Liberty, Missouri (20/9/2013) 
. Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama escreve bilhete para professora de Alanah Poullard justificando sua falta na escola (19/9/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaObama e a primeira-dama Michelle Obama participam de cerimônia pelos 12 anos dos ataques do 11 de Setembro (11/9/2013). Foto: APObama é visto durante encontro da cúpula do G20 na Rússia (6/9). Foto: ReutersObama senta-se ao lado de presidente Dilma Rousseff durante encontro do G20 em São Petersburgo, Rússia (5/9/2013). Foto: APObama sai de seu avião ao chegar em São Petersburgo, na Rússia, para a reunião do G20 (5/9/2013). Foto: APObama faz pronunciamento para marcar 50º aniversário de discurso de Martin Luther King (28/8/2013). Foto: APObama visita prisão onde Nelson Mandela ficou preso por 18 anos na África do Sul (30/6/2013). Foto: APObama tira o paletó por causa do calor na área do Portão de Brandenburgo, onde discursou em Berlim, Alemanha (19/6/2013). Foto: APPresidentes dos EUA, Barack Obama, e da Rússia, Vladimir Putin, reúnem-se em Enniskillen, Irlanda do Norte (17/6/2013). Foto: APObama abraça Tolu Olubunmi, uma ativista da imigração, antes de falar sobre a reforma migratória (11/6/2013). Foto: APObama conversa com sobreviventes de escola que foi destruída por tornado (26/5/2013). Foto: ReutersObama e funcionários da Casa Branca olham através de janela do Air Force One para ver danos deixados por tornado em Moore, Oklahoma (26/5/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaProtegido por guarda-chuva segurado por marine, Obama dá coletiva em conjunto com premiê turco, Recep Tayyip Erdogan (não visto) (16/5/2013). Foto: APObama faz pausa durante coletiva na Casa Branca, Washington (30/4). Foto: APObama brinca durante encontro com jornalistas na Casa Branca (27/4/2013). Foto: APObama ri sentado entre sua mulher e a ex-primeira-dama Barbara Bush na inauguração de Centro Presidencial George W. Bush (25/4/2013). Foto: APMichelle reage durante conversa com menino no Aeroporto de Love Field, em Dallas, Texas (24/4/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaLíder dos EUA conversa com presidente da Câmara, republicano John Boehner, no Capitólio (23/3/2013). Foto: Pete Souza/ Casa BrancaDe jaqueta preta e óculos escuros, presidente dos EUA visita a cidade antiga de Petra, Jordânia (23/3/2013). Foto: ReutersObama cumprimenta  o presidente palestino, Mahmud Abbas, em Ramallah, Cisjordânia (21/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, olha para multidão enquanto tenta ouvir pessoa gritando durante seu discurso no Centro de Convenção Internacional em Jerusalém (21/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e premiê israelense, Benjamin Netanyahu, são vistos durante coletiva em Jerusalém (20/3/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e primeira-dama MIchelle dançam em baila da posse em Washington (21/01/2013). Foto: APPresidente dos EUA, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, caminham depois de sair de limousine durante parada da posse (21/01/2013). Foto: ReutersCasa Branca divulga foto de Obama praticando tiro ao prato em Camp David, em agosto de 2012. Foto: APTensos, Obama e sua equipe acompanham desenrolar da operação que matou Bin Laden (02/05/2011). Foto: Divulgação / Casa BrancaBarack Obama (E) assume presidência dos EUA ao lado de sua mulher, Michelle, e de suas filhas, Sasha (D) e Malia (20/01/2009). Foto: AP


Leia tudo sobre: hillary clintonestados unidoseua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas