Mortes foram causadas porque os membros da tribo se recusaram a entregar suas armas e a se unir com os extremistas para lutar contra o governo de Bashar al-Assad

O grupo terrorista Estado Islâmico decapitou mais 25 pessoas de uma mesma tribo em Ramadi, capital da região iraquiana de Al-Anbar, nesta sexta-feira (10), informou a emissora "Arabiya".

Leia também:  TV francesa é alvo de ataque virtual do Estado Islâmico

Estado Islâmico decapita e queima crianças vivas, diz ONU

As informações dão conta que as mortes foram causadas porque os membros da tribo se recusaram a entregar suas armas e a se unir com os extremistas para lutar contra o governo de Bashar al-Assad. Porém, a notícia não pode ser verificada de maneira independente pela grande tensão que vive a cidade.

Segundo a rede televisiva, Ramadi está sofrendo uma contra-ofensiva dos jihadistas após o governo central anunciar que, após "libertar Tikrit", no norte do país, iria tentar recuperar as áreas de Al-Anbar. Com isso, as forças militares - apoiadas pelos Estados Unidos - deixam de operar contra Mosul, a autoproclamada capital do Estado Islâmico.

    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.