Parentes criticam demora na identificação das vítimas após o ataque do al-Shabab a faculdade e do desencontro de notícias

BBC

Parentes das vítimas do massacre de estudantes em Garissa, no Quênia, reclamam da falta de informações das autoridades sobre o paradeiro dos desaparecidos.

Veja clicando no link abaixo:

Mãe de vítima de massacre no Quênia leva cinco dias para achar filho


Governo queniano já identificou pelo menos 80 corpos
Reprodução/BBC
Governo queniano já identificou pelo menos 80 corpos

Ontem:  Quênia bombardeia alvos do grupo terrorista al-Shabab perto da Somália

Cerca de 150 estudantes morreram no ataque perpetrado pelo grupo extremista muçulmano Al-Shabab na última quinta-feira. A mãe de um dos mortos contou ter feito uma peregrinação de cinco dias em busca de notícias do filho antes de encontrar seu nome numa lista de mortos.

O governo queniano já identificou pelo menos 80 corpos e avisa que o trabalho está sendo dificultado pela violência do ataque, que deixou alguns cadáveres bastante danificados. No necrotério montado para receber parentes, as cenas são de desespero.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.