Em procissão no Vaticano, Igreja católica pede perdão por abusos

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

No fim da procissão, Francisco fez um rápido discurso e lembrou dos "irmãos perseguidos, enforcados e crucificados" por causa de sua fé

O papa Francisco comandou nesta sexta-feira (3) no Coliseu de Roma o tradicional rito da Via Crucis. Essa foi a terceira vez que Jorge Bergoglio realizou a celebração desde o início do seu Pontificado. 

Desta vez, a procissão foi marcada por um pedido de desculpas da Igreja às vítimas de abuso sexual por parte do clero. "Tu nos incita a pedir humildemente perdão a todos aqueles que sofreram esses ultrajes e a rezar para que finalmente desperte a consciência de quem escureceu o céu na vida dessas pessoas", diz a meditação lida durante a 10ª estação do ritual.

Leia mais: Paixão de Cristo é lembrada por fiéis em todo o Brasil nesta sexta; veja fotos

Preparado pelo bispo emérito de Novara, Renato Corti, o trecho faz referência a uma passagem anterior, que menciona "situações tremendas" como a dos "garotos e adolescentes derrubados de si mesmos, feridos em sua intimidade e barbaramente profanados". Mas a homilia não se restringia às vítimas de pedofilia dentro da Igreja, e sim também às crianças afetadas pelo tráfico de seres humanos, que se tornam soldados ou que trabalham em condições de escravidão.

Na estação seguinte, a meditação questionou quando seria abolida a pena de morte, ainda adotada em vários países, e quando seriam encerradas todas as formas de tortura e "supressão violenta de pessoas inocentes".

No fim da procissão, Francisco fez um rápido discurso e lembrou dos "irmãos perseguidos, enforcados e crucificados" por causa de sua fé, uma clara referência ao atentado que deixou 148 mortos no Quênia.

Entre os indivíduos que levaram a cruz na celebração deste ano estiveram duas crianças brasileiras, Rafaela e Vitor, adotadas por um casal de italianos, Palma e Francesco Serra. Além deles, também participaram duas freiras iraquianas e pessoas provenientes de Síria, Nigéria, Egito e China.

Em Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Andrew MedichiniEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Andrew MedichiniEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Andrew MedichiniEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Andrew MedichiniEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Gregorio BorgiaEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Gregorio BorgiaEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Gregorio BorgiaEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Gregorio BorgiaEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Alessandra TarantinoEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Alessandra TarantinoEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Alessandra TarantinoEm Via Crucis, Igreja pede perdão por abusos. Foto: AP Photo/Alessandra Tarantino


Leia tudo sobre: vaticanoigreja católicapáscoapaixão de cristo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas