Segundo diário econômico alemão, indenizações pagas nesses casos ficam aproximadamente em US$ 1 milhão por passageiro

Agência Brasil

O grupo Lufthansa anunciou nesta terça-feira (31) que o consórcio de seguradoras liderado pela alemã Allianz destinou 279 milhões de euros para indenizações relativas à queda do Airbus A320, da Germanwings, nos Alpes franceses, no dia 24 de março.

Leia também:

Como é calculada a indenização para as famílias das vítimas de acidentes aéreos?

Copiloto da Germanwings fez tratamento contra tendências suicidas

Caso Germanwings: quando um avião fica velho demais para voar?

"Posso confirmar que 279 milhões de euros estão previstos" para cobrir os prováveis pedidos de compensação das famílias das vítimas, declarou uma porta-voz da empresa aérea alemã Lufthansa, proprietária da Germanwings, confirmando a informação divulgada pelo jornalHandelsblatt.

De acordo com o diário econômico alemão, as indenizações pagas em caso de acidente aéreo ficam aproximadamente em US$ 1 milhão por passageiro, mas a presença de norte-americanos entre as vítimas poderá levar a valores mais elevados.

O avião estava segurado em US$ 6,5 milhões, informou o Handelsblatt.

A Allianz Global Corporate & Speciality, filial da seguradora alemã Allianz, especializada na gestão de risco dos grandes grupos, é a líder do consórcio de seguradoras da transportadora de baixo custo Germanwings.

As perdas humanas no acidente, ocorrido há uma semana, do A320 da companhia nos Alpes franceses, bem como o avião destruído, serão compensadas pelas seguradoras, mesmo se o acidente foi causado deliberadamente, afirmaram na sexta-feira (27) fontes citadas pela agência de notícias francesa AFP.

A queda do avião da Germanwings, que fazia a ligação entre Barcelona (Nordeste da Espanha) e Dusseldorf (Oeste da Alemanha), deixou 150 mortos.

O copiloto do aparelho, Andreas Lubitz, ficou fechado sozinho na cabine de comando, aproveitando breve ausência do comandante, e teria causado deliberadamente a queda do avião, de acordo com os investigadores, depois de analisadas as gravações recolhidas de uma das duas caixas-pretas a bordo e a única encontrada até agora, denominada CVR (gravador de voz da cabine de comando).


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.