Avião derrapa durante pouso e deixa ao menos 23 feridos no Canadá

Por AP | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O Airbus 320 é do mesmo modelo da aeronave da Germawings, que caiu nos alpes franceses na última terça-feira (24)

AP

Airbus A320 tinha 133 passageiros e cinco tripulantes (29.03.15)
AP
Airbus A320 tinha 133 passageiros e cinco tripulantes (29.03.15)

Um avião da Air Canada derrapou durante o pouso na pista do aeroporto de Halifax devido ao mau tempo, na madrugada deste domingo (29). Segundo autoridades, ao menos 23 pessoas foram levadas para hospitais para observação e tratamento de pequenos ferimentos.

Leia também: Airbus A320 cai com 150 pessoas na França
Copiloto tinha atestado para não trabalhar no dia do voo, dizem promotores

A companhia aérea informou que o vôo AC624, um Airbus 320, deixou Toronto na tarde de sábado (28), tinha 133 passageiros e cinco tripulantes.

"Estamos gratos que não houve relatos de feridos graves", informou as autoridades do Aeroporto Internacional de Halifax Stanfield pelo Twitter. O aeroporto foi fechado para pousos e decolagens após o acidente devido a um blecaute, provavelmente causado pelo acidente.

Uma falha, que ainda não foi apurada, fez o centro de emergência do aeroporto ser transferido para um hotel na região, de acordo com Spurway. 

O site de rastreamento de vôo Flightradar listou 24 voos cancelados no aeroporto de Halifax, na manhã deste domingo.

Neve na pista

O porta-voz do aeroporto Peter Spurway informou que havia tempestade no momento da aterrisagem. "Ele fez uma descida muito difícil e, em seguida, saiu da pista", disse Spurway. 

A região de Halifax está atualmente sob um aviso de tempestade de neve. Segundo serviço de meteorologia, a visibilidade pode ser reduzida a qualquer momento devido à neve.

Há diferenças nos números de feridos informados pelos envolvidos. O aeroporto informou que 25 passageiros precisaram ser atendidos, enquanto a Air Canada informou que o número de feridos, que inclui passageiros e tripulantes, chegou a 23.

Relembre acidentes aéreos que mudaram a história da aviação:

Em 1956, aeronave da Trans World Airlines colidiu no ar com outra da United Airlines sobre o Grand Canyon, matando todas as 128 pessoas a bordo em ambos os aviões. O acidente levou a criação da Federal Aviation Administration (FAA). Foto: Reprodução/YoutubeEm 1986, o controle de tráfego aéreo dava pouca importância aos pequenos aviões. Até um Piper colidir com um Aeromexico DC-9 e deixar 72 mortos. Depois disso, voos privados instalaram dispositivos eletrônicos que transmitiam informações ao solo. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1998, pilotos de um McDonnell Douglas MD-11 sentiram cheiro de fumaça na cabine antes de o avião cair no Atlântico ao largo da costa leste do Canadá. Investigadores acreditam que o fogo se espalhou por causa da fuzilagem inflamável. Depois disso, materiais resistentes ao fogo foram encomendados. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1985, um voo da Delta rumo a Dallas foi derrubado por ventos violentos que deixaram 137 mortos. Um esforço de pesquisa de sete anos entre a NASA e a FAA resultou em um equipamento mais eficaz para detectar e controlar o problema. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1996, Boeing 747 da TWA rumo a Paris decolou de NY e depois, explodiu no ar. A investigação concluiu que problemas em um tanque de combustível levou ao acidente e as 230 mortes. Então, a FAA promoveu mudanças que diminuiriam a chance de faíscas na fiação. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1994, uma válvula do sistema de um Boeing 737 emperrou enquanto avião se aproximava de Pittsburgh e derrubou a aeronave. Depois disso, boeings foram equipados com serviços de sobrevivência. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1988, fuselagem explodiu voo da Aloha Airlines no curto trajeto entre Hilo e Honolulu. O acidente levou a FAA a aumentar a inspeção e manutenção dos voos. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1983, voo da Air Canada rumo a Toronto a partir de Dallas desenvolveu um incêndio em um dos banheiros. Em meio a fumaça pesada, o piloto fez um pouso de emergência em Cincinnati, mas não conseguiu evitar 23 mortes. Como resultado, detectores de fumaça e extintores automáticos de incêndio se tornaram obrigatórios. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1996, um ValuJet caiu no Everglades, Flórida, depois de um incêndio gerado na carga. Ele matou todas as 110 pessoas a bordo. Depois da tragédia, detectores de fumaça e extintores automáticos de incêndio se tornaram obrigatórios em porões de carga dos voos comerciais. Foto: Reprodução/YoutubeEm 1978, a United DC-8 circulou Portland, Oregon enquanto tentavam resolver um problema do trem de pouso. O avião ficou sem combustível e caiu. O acidente mudou procedimentos de treinamento cockpit e enfatizou o trabalho em equipe e comunicação. Foto: Reprodução/Youtube

O empresário Mike Magnus, de 60 anos, que estava sentado na primeira fila no avião, disse que a aeronave estava na "ponta mais distante do aeroporto", quando parou. Ele diz que ouviu falar que o avião pode ter cortado a linha de energia que causou a queda de energia no aeroporto.

"Foi tão caótico no momento. Tenho certeza de que o trem de pouso quebrou. O motor do meu ficou para fora", informou Magnus.

Ele acredita que pelo menos um motor foi arrancado do Airbus A320, o mesmo modelo do avião da Germanwings, que caiu nos alpes franceses na última terça-feira (24). Ele também contou que a frente do avião e as asas foram danificadas. 

Ele acrescentou ainda que a neve que cobria a pista provavelmente amorteceu qualquer faísca causada por um possível incêndio. "A neve causou o acidente e nos salvou", disse. 

O empresário teve ferimentos leves no ombro e no queixo e passa bem. "Eu estou salvo e é isso tudo que importa. Eu vou beber um copo de vinho agora", finalizou.


 

Leia tudo sobre: Aviãoairbus 320canadá

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas