Segundo as autoridades, a prioridade é encontrar a segunda caixa-preta para que a investigação sobre o acidente continue

Agência Brasil

As equipes de busca entram no quarto dia de trabalho na região dos alpes franceses, onde caiu terça-feira (24) o Airbus A-320 da Germanwings quando fazia o trajeto entre Barcelona e Düsseldorf.

Leia mais:

Copiloto da Germanwings sofreu grave depressão e estaria vivendo crise no namoro

Presidente da Lufthansa diz estar "chocado" com atitude do copiloto

As autoridades francesas voltam a utilizar helicópteros a partir da base de Seyne-les-Alpes para atingir a montanha onde o avião bateu, provocando a morte das 150 pessoas a bordo.

As equipes dão prioridade à busca da segunda caixa-preta para que a investigação continue. A primeira, com o registro de voz da cabine, foi encontrada poucas horas depois do acidente e revelou que o copiloto provocou deliberadamente o acidente, segundo as autoridades.

Os especialistas continuam a procurar na montanha restos de corpos dos passageiros e tripulantes, que estão sendo transportados para um centro de campanha montado em Seyne-les-Alpes, onde são feitos os trabalhos de identificação por meio de testes comparativos com parentes.

O porta-voz do Ministério do Interior, Pierre-Henri Brandet, disse que a repatriação dos restos mortais, principalmente para a Alemanha e a França, locais de origem da maioria das vítimas, não será feita até que os trabalhos de busca e identificação sejam concluídos.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.