Aeronave que caiu nesta terça-feira com 150 pessoas tinha 24 anos de uso e passou por revisão no último domingo; piloto da companhia aérea tinha mais de 10 anos de experiência

O avião do voo 4U9525 perdeu altitude por oito minutos até a colisão, informou o porta-voz da Germanwings, Thomas Winkelmann, em coletiva nesta terça-feira (24).

O voo da empresa Germanwings, bandeira de baixo custo da Lufthansa, decolou de Barcelona às 8h35 deveria ter pousado em Dusseldorf, na Alemanha, por volta das 11h (hora local). No entanto, a torre de controle francesa perdeu contato com a aeronave às 10h53, segundo o jornal francês Le Figaro.

Os dados recolhidos por uma série de radares amadores no site Flightradar.fr mostram que após a decolagem o avião voou sobre o mar Mediterrâneo até atingir a altitude de mais de 30 mil pés. 

A France Info afirma que o avião voava "muito baixo" na hora do acidente, a cerca de 1,8 mil metros de altura. Ele teria colidido com uma montanha com 3 mil metros de altura.

Segundo Winkelmann, a aeronave A320, da Airbus, foi comprada em 1991 e havia passado por revisão no último domingo (22). O piloto tinha mais de 10 anos de experiência e 6 mil horas de voo em aeronaves daquele tipo.


Vítimas

Entre as 150 vítimas do acidente com o avião A320 havia ao menos 67 alemães, segundo Winkelmann. O governo espanhol divulgou que 45 espanhóis também estariam na lista de passageiros.

Uma turma com 16 estudantes alemães que voltava de intercâmbio em Barcelona estava no voo. As informações são da rede de televisão espanhola TV3.

Os alunos, com idade ao redor de 15 anos, tinham feito aulas no Institut Giola de Llinars, em Barcelona. Além dos estudantes, há a possibilidade de que quatro professores acompanhassem o grupo, segundo o jornal catalão "Nació Granollers".

Buscas

Os destroços foram encontrados na região de Digne-Les-Bains, no sul dos alpes franceses, a 2 mil metros de altitude. A região é de difícil acesso e não permite a aproximação por terra de veículos como carros e caminhões. Pelo menos 200 pessoas já estariam participando das buscas de corpos e destroços.

Autoridades francesas, espanholas e alemãs acompanham as buscas no local. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.