Chanceler belga pinta rosto de preto e causa polêmica

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Didier Reynders foi fotografado fantasiado de 'nobre africano' durante festival em Bruxelas e acusado de racismo

BBC

O ministro das Relações Exteriores da Bélgica, Didier Reynders, causou polêmica ao ser fotografado com o rosto pintado de preto durante um festival tradicional na capital do país, Bruxelas.

A ONG Human Rights Watch afirmou que Reynders deveria "se envergonhar" do episódio enquanto usuários criticaram fortemente a atitude do chanceler belga nas redes sociais.

A polêmica começou quando uma TV francesa divulgou as imagens de Reynders na parada.

Chanceler belga pinta rosto de preto e causa polêmica
Reprodução
Chanceler belga pinta rosto de preto e causa polêmica

O festival Noirauds (negros), também conhecido como "Zwarte" em holandês, acontece sempre no segundo sábado de março.

Em sua defesa, Reynders alegou que a tradição data de 1876 e que não entendia a razão da controvérsia.

O governo de Bruxelas informou em seu site que a tradição de se vestir de "nobres africanos" foi criada para salvar uma creche da falência.

Reynders, que publicou em seu blog fotos de si mesmo durante a parada no início desta semana, escreveu em sua página que o dinheiro arrecadado foi encaminhado diretamente para as crianças necessitadas, por meio de hospitais, escolas e farmácias.

"Nós nos vestimos desse modo para sermos notados e ao mesmo tempo permanecer anônimos", explicou outro homem na rede de TV France 2.

Mas o correspondente da emissora em Bruxelas, François Beaudonnet, que cobria o evento, escreveu em sua conta do Twitter que o festival combinava "velho clichês coloniais junto com folclore e generosidade".

Autoridades de Bruxelas ressaltaram que o rei Philippe da Bélgica também se fantasiou desse jeito para o festival quando era príncipe herdeiro.

No entanto, Andrew Stroehlein, da ONG Human Rights Watch, descreveu o traje do chanceler como "chocante e embaraçoso", argumentando que a tradição e a caridade não poderiam justificar o racismo.

Stroehlein se questionou no Twitter se Reynders se vestiria da mesma maneira em um próximo encontro com líderes africanos.

Leia tudo sobre: chancelerbelga

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas