Ataque contra Museu do Bardo deixa 24 mortos em Túnis, na Tunísia

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Os autores do ataque são dois tunisianos chamados Jabeur Khachnaoui, originário da região de Kasserine, e Yassine Laâbidi. Eles morreram durante a operação

Ao menos 24 pessoas morreram e 50 ficaram feridas durante ataque realizado ao museu do Bardo, em Túnis, na Túsica, segundo último balanço das autoridades locais. As informações são do site Tunisie Numerique".

 De acordo com o portal, várias pessoas estão em estado grave. Os autores do ataque são dois tunisianos chamados Jabeur Khachnaoui, originário da região de Kasserine, e Yassine Laâbidi. Eles morreram durante a operação.

 Segundo o primeiro-ministro da Tunísia, Habib Essid, entre as vítimas há italianos, alemães e espanhóis. Já o premier da Itália, Matteo Renzi, afirmou que não há "condições de oficializar o número de cidadãos [do país] envolvidos" no ataque, mas ressaltou que uma "unidade de crise" já foi instaurada pelo governo.

 Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores de Roma havia confirmado que um grupo de 100 italianas estava em um lugar a salvo após serem resgatados do prédio e que dois deles haviam sido feridos. Eles estavam visitando o museu como parte de uma atração de um cruzeiro marítimo pela região.

 

Sequestro terrorista deixa 19 mortos em Túnis, na Túnisia
AP
Sequestro terrorista deixa 19 mortos em Túnis, na Túnisia














De acordo com a imprensa tunisiana, mais de 200 turistas estavam no prédio no momento da ação. Os sequestradores estavam munidos de armas de fogo e planejavam invadir o Parlamento tunisiano, que fica na mesma área do museu. Como medida de segurança contra um possível atentado terrorista, os agentes impediram que jornalistas e parlamentares deixassem o prédio do Legislativo sem proteção.

A "Al-Arabya" informou que os homens estavam vestidos com farda militar e tentaram entrar no palácio do Congresso, mas foram impedidos por seguranças. Após a tentativa de invasão, eles trocaram diversos tiros com os guardas e entraram no museu do Bardo.

Um dos diretores do centro cultural afirmou, em entrevista ao jornal "Le Parisien", que a situação no prédio foi controlada. "A situação foi colocada sob controle, mas não temos ainda informações precisas sobre o balanço" do número de vítimas, destacou. (ANSA)

Museu

O Museu Nacional Bardo é adjacente ao edifício do parlamento nacional, que estava sendo evacuado após o tiroteio.

O museu é uma importante atração turística que narra da Tunísia história e abriga uma das maiores coleções do mundo de mosaicos romanos.


*Com AP

Leia tudo sobre: tunísiaataqueturistassequestros

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas