Ex-treinadores do SeaWorld revelam que orcas do parque eram drogadas

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Baleias precisavam diariamente de grande quantidade de drogas para conseguirem sobreviver em um tanque

Ex-treinadores do Seaworld revelaram para o site de notícias animais "The Dodo" que as orcas do parque eram drogadas todos os dias para tratar estresse crônico.

"Nós tínhamos baleias que receberam medicações em todos os dias de suas vidas", afirmou John Hargrove, que trabalhou na empresa durante 14 anos.

Desde antipsicóticos, para diminuir a testosterona, a benzodiazepinas, para acalmar, as orcas precisavam de uma grande quantidade de drogas para conseguirem sobreviver em um tanque. De acordo com os treinaidores, alguns dos medicamentos eram tão perigosos que também colocavam os seres humanos em perigo.

Enquanto pessoas que apoiam a vida de orcas em cativeiro argumentam que os remédios ajudam as baleias a se manterem saudáveis, a cientista Naomi Rose, do Instituto Bem-Estar Animal, diz que a vida em um tanque é a raiz do problema.

Orcas recebiam medicamentos tão perigosos que até os treinadores eram colocados em perigo
AP Photo/Magnolia Pictures
Orcas recebiam medicamentos tão perigosos que até os treinadores eram colocados em perigo

"Eu posso responder com total certeza que todos esses medicamentos são dados como resultado de problemas associados ao cativeiro", disse ela. "Orcas selvagens não recebem nenhuma medicação e lidam muito bem com isso."

De acordo com Carol Ray, uma treinadora que trabalhou no SeaWorld, em Orlando, de 1987 a 1990, o antiácido cimetidina, usado para tratar úlceras, foi dado diariamente para todas as orcas adultas. A lesão é um problema para muitos mamíferos marinhos em cativeiro e muitas vezes é relacionada ao estresse e ambiente.

De acordo com John Jett, que foi treinador por quatro anos na década de 1990, algumas das orcas recebiam antibióticos como a clindamicina para evitar infecções. As baleias costumam machucar os dentes em superfícies de concreto, além de terem ferimentos causados por outras baleias que ficam no mesmo tanque.

Treinadores alegam que eles eram obrigados a nadar com as orcas mesmo que elas estivessem severamente medicadas, e, por isso, tinham preocupações com sua própria segurança. Depois da morte do treinador Dawn Brancheau, em 2010, eles não estão mais permitidos a nadar com as baleias. 

Veja fotos das orcas no SeaWorld:

Treinador Dawn Brancheau e a orca Tilikum antes do incidente no SeaWorld, na Flórida. Foto: © APPeta afirma que as orcas Tilikum, Katina, Kasatka, Ulises e Corky são tratadas como escravas, porque vivem em tanques e são forçadas a fazer apresentações diárias. Foto: Getty ImagesImagem mostra orca Tilikum em apresentação no SeaWorld. Foto: AP Photo/Magnolia Pictures


Leia tudo sobre: orcabaleiaseaworlddrogaparque

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas