Netanyahu diz que vai se opor à criação de Estado palestino caso seja reeleito

Por Agência Brasil * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

As últimas pesquisas eleitorais dão uma pequena vantagem à aliança entre o Partido Trabalhista de Isaac Herzog e o Kadima de Tzipi Livni sobre o Likud de Benjamin Netanyahu

Agência Brasil

A um dia da eleição, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira (16) que se vai opor à criação de um Estado palestino caso seja reeleito nas eleições legislativas marcadas para amanhã (16).

Leia também: Aposta de Netanyahu, eleição em Israel pode tirá-lo do poder

“Todos os que querem a criação de um Estado palestino e a retirada dos territórios tornam esses territórios vulneráveis a ataques do extremismo islâmico contra o Estado de Israel. É essa a realidade que se impôs nos últimos anos”, disse Netanyahu em entrevista a um site.

Perguntado se queria dizer que não haverá um Estado palestino se for eleito para um novo mandato, o primeiro-ministro respondeu: “Exato”.

As últimas pesquisas eleitorais dão uma pequena vantagem à aliança entre o Partido Trabalhista de Isaac Herzog e o Kadima de Tzipi Livni sobre o Likud de Benjamin Netanyahu.

Em entrevista à rádio pública israelense, Netanyahu disse que “a realidade mudou” desde o discurso de junho de 2009 em que admitiu pela primeira vez publicamente a ideia de um Estado palestino ao lado de Israel. A declaração ficou conhecida como o discurso de Bar Ilan.

“Esse discurso foi feito antes da tempestade árabe – a chamada primavera árabe – que abalou o Oriente Médio e trouxe consigo o radicalismo islâmico. Qualquer território que fosse entregue agora seria tomado por islamitas radicais”, disse.

“Não é possível aplicarmos o que foi definido no discurso de Bar Ilan quando tudo o que temos do outro lado é terrorismo. Não há forças de paz, não há parceiros de paz”, acrescentou.

*Com Agência Lusa

Leia tudo sobre: Netanyahupalestinaisrael

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas