Justiça sueca estuda interrogar Assange em Londres

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Julian Assange responde por acusações de abuso sexual

Julian Assange, fundador do Wikileaks
PA
Julian Assange, fundador do Wikileaks

A Justiça da Suécia está disposta a enviar um representante a Londres para interrogar o fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, que responde por acusações de abuso sexual no país.

LEIA MAIS: Sequestrador iraniano de Sydney se comparava a Julian Assange

Iniciativa tem como objetivo destravar a investigação aberta contra ele. Até o momento, a Promotoria sueca havia se recusado a ir até Londres, mas, como explicou a promotora-geral, Marianne Ny, eles mudaram de atitude para evitar a prescrição do caso.

Desta forma, ela enviou um pedido de interrogatório aos advogados de Assange, além de um requerimento de exame de DNA do australiano.

Ele está refugiado há mais de dois anos na capital inglesa, na Embaixada do Equador. O ativista não pode deixar o local sob a ameça de ser detido e extraditado.

O australiano sempre negou acusações e teme que sejam um pretexto para sua extradição para os Estados Unidos, onde pode ser condenado por espionagem.

Leia tudo sobre: assangesuéciaabuso sexuallondres

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas