Sobe para sete o número de suspeitos presos pela morte de opositor na Rússia

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

Número de pessoas presas pelo envolvimento no crime subirá de cinco para sete; suspeitos foram presos na Chechênia

Boris Y. Nemtsov, foi morto em uma rua no centro de Moscou (15.03.14)
AP
Boris Y. Nemtsov, foi morto em uma rua no centro de Moscou (15.03.14)

As autoridades russas teriam detido nesta segunda-feira (9) mais dois suspeitos pela morte do líder opositor Boris Nemtsov, vítima de uma emboscada em Moscou. Caso as autoridades confirmem as detenções, o número de pessoas presas pelo envolvimento no crime subirá de cinco para sete.

Os dois novos suspeitos foram presos em uma região da Chechênia, de acordo com fontes locais. Eles teriam mantido contato com com Zaur Dadayev e Beslan Shabanov, apontados como os responsáveis por orquestrar a emboscada.

Leia também: Suspeito confessa assassinato de Boris Nemtsov

Nemstov foi morto a tiros a pedido de Putin, acusa opositor

Ex-vice-comandante da polícia chechêna, Dadayev teria confessado o crime em depoimento na prisão e seria o autor dos disparos que mataram Nemtsov. Por sua vez, Beslan Shabanov lançou uma granada contra si no último sábado (7) para evitar sua prisão pela polícia. Durante o fim de semana, as autoridades russas prenderam cinco pessoas, entre elas os irmãos Shagit e Anzor Gubashev, Ramzat Bakhayev e Tamerlan Eskerkhanov.

O líder opositor foi morto em uma emboscada no centro da capital russa no último dia 27 de fevereiro. Vice-primeiro-ministro durante a Presidência de Boris Iéltsin, ele foi vítima de quatro disparos de armas de fogo.

Outro líder da oposição, Alexei Navalny, chegou a acusar o atual presidente russo, Vladimir Putin, de ser o mandante do homicídio.

Leia tudo sobre: Rússialíder da oposição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas