Vulcão entre em erupção no Chile e 3,5 mil deixam suas casas

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

O vulcão Villarica tem 2.847 metros e fica no vale central do Chile, a 670 quilômetros ao sul de Santiago

AP

Vulcão Villarica fica no vale central do país (03.05.15)
AP
Vulcão Villarica fica no vale central do país (03.05.15)

Um dos vulcões mais ativos da América do Sul entrou em erupção nesta terça-feira no sul do Chile. Cerca de 3,5 mil pessoas deixaram suas casas.

O vulcão Villarica entrou em erupção por volta das 3h (horário local), segundo o Escritório Nacional de Emergência, que emitiu um alerta vermelho e ordenou a evacuação.

A imprensa local mostrou imagens do vulcão explodindo no alto, brilhando no escuro em meio a fumaça pesada e rios de lava.

Vulcão estava inativo desde 1984 (03.03.15)
AP
Vulcão estava inativo desde 1984 (03.03.15)

O vulcão de 2.847 metros no vale central do Chile, a 670 quilômetros ao sul de Santiago, fica acima da pequena cidade de Pucon. O local é ponto turístico com atividades como caminhadas ao redor do vulcão, que estava inativo desde 1984.

A presidente Michelle Bachelet pediu calma aos moradores e anunciou viagem para a região atingida. 

As autoridades chilenas já tinham emitido um alerta laranja na segunda-feira (2) por causa do aumento da atividade no vulcão.

Chile tem mais de 2 mil vulcões na cordilheira dos Andes e cerca de 90 deles permanecem ativos.

Fotógrafo mostra beleza de região com 160 vulcões no extremo da Rússia

Ivan Dementievskiy, um fotógrafo do serviço russo da BBC, enviou imagens de Kamchatka, região no extremo leste da Rússia famosa por seu cinturão de vulcões. Foto: Ivan DementievskiyA península tem cerca de 160 vulcões, 29 dos quais estão ativos. Cerca de 19 deles são considerados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Foto: Ivan DementievskiyDementievsky foi acampar na região com amigos e acabou decidindo fotografar a paisagem. Foto: Ivan DementievskiyUm dos vulcões da região, o Kronotsky, é considerado por especialistas o mais bonito do mundo.. Foto: Ivan DementievskiyO grupo então decidiu visitar os dois vulcões mais próximos de seu acampamento, o Mutnovsky e o Gorely. Foto: Ivan Dementievskiy"Do topo da passagem montanhosa, com o tempo bom, era possível ter uma vista magnífica do vulcão Vilyuchinskaya", disse Dementievskiy. Foto: Ivan DementievskiyO vulcão Mutnovsky é famoso por seus campos de fumarolas, regiões que tem aberturas no solo por onde escapam vapor de água e outros gases, como enxofre. Foto: Ivan DementievskiyPor causa da forte atividade sísmica, terremotos e tsunamis são comuns na península de Kamchatka.Na foto, pedaços de gelo em um lago
. Foto: Ivan DementievskiyDe acordo com o fotógrafo, "um dos principais objetivos da viagem a Kamchatka era a pequena possibilidade de ver uma erupção do vulcão Klyuchevskaya". Foto: Ivan Dementievskiy"Já estava escuro quando nosso jipe deixou a floresta até a clareira. Mesmo assim, um cone de foto podia ser visto no céu escuro", contou Dementievsky. Foto: Ivan Dementievskiy"Quando a coluna branca subiu com um estrondo, pensamos que era uma nova fase da erupção. Pouco depois, ficou claro que o rio de lava  tinha chegado à geleira". Foto: Ivan DementievskiyA foto acima mostra um bosque morto do outro lado do vulcão Tolbachik. O local tem os resquícios de uma floresta que foi completamente destruída durante uma grande erupção do vulcão em 1970.. Foto: Ivan Dementievskiy"No dia seguinte, decidimos ver a floresta com um tempo mais ensolarado e a sensação foi completamente diferente", descreve Dementievskiy. Foto: Ivan Dementievskiy"Apesar da ausência de vegetação, encontramos trilhas de ursos nas poças d'água secas. Talvez eles, como nós, foram aproveitar esse lugar belo, assustador e incomum."
. Foto: Ivan Dementievskiy


Leia tudo sobre: chilevulcão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas