Venezuela exigirá visto de entrada para cidadãos norte-americanos

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Anúncio foi feito por Nicolas Maduro após dizer que norte-americanos foram detidos sob acusação de espionagem

Agência Brasil

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, anunciou ontem (28) que o governo do país começará a exigir visto de entrada para cidadãos dos Estados Unidos. O anúncio foi feito logo após Maduro ter informado que norte-americanos foram detidos pelo governo venezuelano sob acusação de espionagem.

O presidente venezuelano também informou que restringirá a quantidade de diplomatas norte-americanos no país.

Maduro reforça discurso sobre suposto golpe e diz que atuará com 'punho de ferro contra conspiradores'
Getty Images
Maduro reforça discurso sobre suposto golpe e diz que atuará com 'punho de ferro contra conspiradores'

Sem dizer nomes nem a quantidade de americanos detidos sob acusação de espionagem, Maduro disse que quer proteger o país do que chamou de “terrorismo e interferência” do governo dos Estados Unidos.

“Os Estados Unidos têm 100 funcionários em Caracas e nós 17 em Washington. Queremos que seja estabelecida a igualdade entre os estados", declarou, durante discurso para apoiadores do governo.

Entenda a crise política na Venezuela
+
 Oposição convoca novos protestos contra crise e escassez na Venezuela
+ Procuradora da Venezuela anuncia processo judicial contra os Estados Unidos
+ Maduro cita golpe, prende prefeito de Caracas e fala em luta contra conspiração

Recentemente, os Estados Unidos suspenderam vistos de entrada para altos funcionários do governo da Venezuela, alegando que o país não respeita o princípio da democracia e da liberdade de expressão.

A relação entre os dois países é tensa, por causa da troca de acusações. Os Estados Unidos acusam o governo de Maduro de desrespeitar o direito de protestar e de adotar medidas antidemocráticas. Em contrapartida, o governo venezuelano acusa o americano de ter apoiado e financiado uma tentativa de golpe liderada pelo opositor Leopoldo López, preso desde março do ano passado.

Leia tudo sobre: venezuelaeuanicolas maduro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas