Jimmy Savile praticou abusos contra crianças e adolescentes por 50 anos; ao todo mais de 500 pessoas foram abusadas

Novas denúncias de abusos sexuais envolvendo o astro da televisão britânica Jimmy Savile, morto em 2011, apontam que reclamações sobre suas ações eram ignoradas e que ele atacou diversos pacientes em hospitais.

Jimmy Savile morto em 2011 (foto de arquivo)
BBC
Jimmy Savile morto em 2011 (foto de arquivo)

Uma investigação, divulgada nesta quinta-feira (26), concluiu que ele abusou de 63 pacientes no Hospital Stoke Mandeville, onde trabalhava como voluntário para arrecadar fundos.

Segundo relatório, as vítimas incluíam um garoto de 8 anos que teve suas amídalas retiradas, uma menina de 11 anos que recebia tratamento para câncer, uma garota de 19 anos que sofria de paralisia e uma mulher grávida.

Outro relatório também divulgado, nesta quinta-feira (26), aponta que o apresentador agiu em ao menos 41 hospitais ao longo de sua vida.

A abrangência dos crimes sexuais cometidos pelo apresentador, segundo a polícia, "não tem precedentes no Reino Unido". Os agentes registraram 214 crimes supostamente cometidos por Savile, incluindo 34 estupros. Ao todo, 450 vítimas foram à polícia com informações sobre os abusos cometidos pelo apresentador.

Leia mais:
Apresentador da TV britânica cometeu mais de 200 crimes sexuais, diz polícia
Lenda da TV britânica é acusado de ter estuprado adolescentes nos anos 60 e 70

Os crimes ocorreram entre 1955 e 2009. As história das vítimas variam desde um menino de 10 anos que disse ter sido abusado após pedir um autógrafo até crianças que afirmaram terem sido tocadas enquanto participavam de um programa de música popular, além de alunas de uma escola para garotas perturbadas a quem supostamente foram oferecidos cigarros e um passeio no automóvel de Savile em troca de sexo.

O secretário de Saúde britânico, Jeremy Hunt, disse ao Parlamento que o status de celebridade do apresentador lhe permitiu escapar de diversas acusações de crimes sexuais.

Jimmy Savile morreu aos 84 anos em 2011, a polícia começou a investigar uma série de denúncias de abuso sexual contra ele um ano após sua morte. Calcula-se que ele tenha violentado mais de 500 pessoas.

Veja mais casos de abuso sexual:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.