Vice-presidente indonésio diz que Jacarta pode reconsiderar a compra de 16 aviões EMB-314 Super Tucano e lança-mísseis

Agência Brasil

O governo da Indonésia ameaçou reconsiderar a compra de material do Brasil, no momento em que as relações entre os dois países estão abaladas pela execução de um brasileiro em janeiro, informou nesta terça-feira (24) a imprensa local.

A Indonésia chamou no sábado (21) o seu representante no Brasil e apresentou protesto formal às autoridades brasileiras porque a presidenta Dilma Rousseff adiou, na sexta-feira (20), o recebimento das credenciais do novo embaixador indonésio, Toto Riyanto, até haver maior clareza da situação das relações diplomáticas entre as duas nações.

Presidente indonésio critica interferência externa e defende manter execuções

Ontem: Indonésia espera pedido de desculpas do Brasil

O vice-presidente indonésio, Jusuf Kalla, disse que Jacarta poderia reconsiderar a compra de 16 aviões de combate EMB-314 Super Tucano e lança-mísseis, segundo o diário The Jakarta Post.

As relações entre o Brasil e a Indonésia atravessam um período de crescente tensão desde que a nação asiática executou o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira por tráfico de drogas, ignorando o pedido de clemência da presidenta Dilma Rousseff.

Dilma, que chamou para consultas o embaixador brasileiro em Jacarta após a execução de Marco Archer, também pediu clemência para Rodrigo Muxfeldt Gularte, que está no corredor da morte, condenado por tráfico de drogas.

O Brasil pede a suspensão da execução e a hospitalização de Gularte, diagnosticado com esquizofrenia. Laudo assinado por um psiquiatria da rede pública da Indonésia confirmou o quadro de saúde do brasileiro.

Marco Archer foi executado em janeiro na Indonésia


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.