Desde 2009, a guerra entre governo nigeriano e Boko Haram deixaram mais de 13 mil mortos e 1,5 milhão de deslocados

Agência Brasil

Pelo menos 27 pessoas morreram nesta terça-feira (24) em dois atentados a estações de ônibus no Nordeste da Nigéria, perpetrados pelo grupo radical islâmico Boko Haram, a cinco semanas das eleições gerais, em 28 de março.

Apesar de o governo nigeriano ter afirmado recentemente que retomou, militarmente, o controle de várias localidades simbólicas do Nordeste do país – o que o Boko Haram contesta - os dois atentados desta terça-feira demonstram, mais uma vez, a extrema capacidade ataque do grupo islâmico, que o presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, admitiu ter subestimado.

Boko Haram comete uma série de atentados suicidas em estação de ônibus em Kano, Nigéria
AP Photo/Sani Maikatanga
Boko Haram comete uma série de atentados suicidas em estação de ônibus em Kano, Nigéria

Em Kano, os “atentados suicidas” foram perpetrados às 15h40 (11h40 de Brasília) por dois homens que saíram de um ônibus, segundo o porta-voz da polícia da cidade, Musa Magaji Majia. “Dez pessoas morreram e várias ficaram feridas na explosão”, declarou.

Um pouco antes, um comerciante da estação descrevia um cenário dantesco: “Um ônibus ficou salpicado de sangue e restos humanos”. A área foi bloqueada e a brigada de minas e armadilhas assegurou-se de que não havia mais bombas no local.

Cerca de quatro horas antes, em Potiskum, a capital econômica do estado de Yobe, houve atentado contra um ônibus na estação de Tashar Dan-Borno, na periferia da cidade. Potiskum, situada a cerca de 280 quilômetros a Leste de Kano, já tinha sido alvo de atentado suicida no domingo (22), cometido por uma menina de 7 anos.

Leia mais:
Presidente da Nigéria diz ter subestimado grupo radical Boko Haram
Presidente nigeriano pede assistência dos EUA para combater Boko Haram
Boko Haram liberta 192 reféns na Nigéria

“Temos 17 mortos e 27 feridos”, disse uma enfermeira do hospital público da cidade, para onde as vítimas do atentado foram transportadas. As equipes de socorro enviadas para o local indicaram que havia 12 pessoas no ônibus que devia transportá-las para Kano, e todas morreram.

Segundo o responsável pelo sindicato dos motoristas e um dos condutores presentes à estação, a explosão ocorreu pouco depois de um homem ter atirado um saco de viagem no porta-bagagens do veículo, antes de tentar entrar no ônibus.

A cidade de Potiskum, no eixo rodoviário que liga Kano, a maior cidade do Norte do país, a Maiduguri, a capital do estado vizinho de Borno, já foi palco de diversos atentados a bomba, atribuídos ao grupo islâmico armado Boko Haram, que reivindicou algumas operações.

Desde 2009, o Boko Haram e as tentativas de o reprimir, por parte das forças nigerianas, fizeram mais de 13 mil mortos e 1,5 milhão de deslocados na Nigéria, sobretudo no Nordeste do país, onde o grupo extremista controla parcelas do território. As atrocidades cometidas pelo grupo, e a expansão geográfica, levaram ao adiamento das eleições gerais - que seriam em 14 de fevereiro - para 28 de março.

A Nigéria, o Níger, o Chade, os Camarões e o Benim anunciaram em 7 de fevereiro a mobilização de 8,7 mil homens para uma força multinacional contra o Boko Haram, mas a operação deverá ainda obter a aprovação do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Relembre os piores ataques terroristas de 2014:

sss

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.