Declaração de presidente ucraniano vem em meio a confrontos apesar de cessar-fogo; tropas oficiais se retiraram de cidade estratégica após combates com rebeldes pró-Rússia.

BBC

Agência Brasil

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, pediu que soldados de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) sejam enviados ao leste do país para fazer cumprir um cessar-fogo entre as forças do governo e rebeldes separatistas pró-Rússia.

O pedido ocorre após a retirada de tropas ucranianas da estratégica cidade de Debaltseve em meio a intensos confrontos.

O presidente ucraniano Petro Poroshenko (arquivo)
Reuters
O presidente ucraniano Petro Poroshenko (arquivo)

Forças rebeldes continuam avançando sobre a cidade apesar de um acordo de cessar-fogo acertado na semana passada. O avanço foi duramente condenado pela comunidade internacional.

Poroshenko, que participou de uma reunião de emergência do conselho de defesa e segurança da Ucrânia, disse que a força da ONU ajudaria a garantir a segurança "numa situação na qual a promessa de paz não está sendo mantida".

O embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, qualificou o pedido ucraniano de destrutivo e disse que a solicitação "cria suspeitas de que ele (Poroshenko) queira destruir o acordo". O representante russo acusou o líder ucraniano de tentar um novo acerto diferente do que está em voga.

O cessar-fogo, que entrou em vigor no domingo, tem sido respeitado na maior parte do leste da Ucrânia. Ambos os lados estariam retirando parte do armamento pesado da região. No entanto, confrontos prosseguiram em Debaltseve, e uma equipe de observadores europeus foi impedida de entrar na cidade.

Leia também:  Presidente da Ucrânia determina cessar-fogo

Ucrânia: dois civis foram mortos após cessar-fogo, combates pararam pouco depois

Posição estratégica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.