Menina de sete anos é estuprada e morta em festa de casamento na Índia

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Após dois dias de buscas, o corpo foi encontrado no terraço do hotel, enrolado em um carpete e com um corte na garganta

Uma menina de sete anos foi sequestrada, violentada sexualmente e assassinada durante uma festa de casamento no estado de Maharashtra, na Índia. O crime ocorreu no último domingo (15) e, de acordo com a imprensa local, a menina sofria de deficiência visual.

Ela estava hospedada com seu pai no Kumar Resort, de Lonavala, para a festa de casamento, mas não retornou à família após sair para buscar comida no buffet. Seu corpo foi encontrado no telhado do hotel.

Leia também:

Após estupro coletivo, Índia aprova lei mais rígida para abusos contra mulheres
Estupros de doente mental e de turista causam comoção na Índia
Pai mata estuprador da filha e caso vira polêmica na Índia

Como havia muitos familiares na festa, o pai da criança não se preocupou com a ausência prolongada da filha. Apenas no fim do dia ele se deu conta do seu desaparecimento e acionou a polícia.

Após dois dias de buscas pelo hotel, um funcionário subiu ao telhado para limpar os painéis solares e encontrou o corpo seminu da menina enrolado em um carpete e com um corte na garganta.

A autópsia confirmou que a criança foi degolada e agredida sexualmente. O crime despertou ira nos moradores da região próxima ao hotel, que invadiram o estabelecimento e o danificaram.

O proprietário do resort é um ex-parlamentar pelo estado de Maharashtra. Devido a uma legislação fraca contra crimes de estupro e violência contra mulher, são constantes os episódios deste tipo na Índia.

Veja imagens de protesto na Índia contra estupro coletivo:

Manifestantes em Mumbai neste sábado (29/12) protestam contra o estupro de uma estudante que resultou na sua morte. Foto: APPessoas acompanham a chegada do corpo da estudante vítima de um estupro coletivo. Foto: ReutersMulheres indianas acendem velas em protesto contra estupro coletivo de jovem na capital, Nova Délhi; a jovem morreu nesta sexta-feira (28). Foto: APManifestantes indianos são escoltados pela polícia durante protesto contra estupro brutal de estudante em ônibus por gangue no dia 16 (24/12). Foto: APManifestantes tentam se proteger enquanto são agredidos por polícia em Nova Délhi durante manifestação violenta contra estupro coletivo de estudante (23/12) 
. Foto: APPolícia indiana tenta conter mulheres que protestam contra estupro coletivo de jovem de 23 anos em ônibus de Nova Délhi (23/12). Foto: APManifestantes em Nova Délhi pedem maior punição contra suspeitos de estuprar estudante em ônibus (22/12). Foto: APEstudantes seguram cartazes pedindo punição aos estupradores de uma estudante durante protesto em Allahabad, Índia (20/12). Foto: APIndianos participam de vigília à luz de velas do lado de fora de hospital onde vítima de estupro coletivo está internada em Nova Délhi (20/12). Foto: APMulheres fazem protesto em frente à casa da chefe de governo do Estado Sheila Dikshit em Nova Délhi, Índia (19/12). Foto: AP



compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas