França: 5 são detidos por pichar suásticas e quebrar tumbas em cemitério judaico

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Jovens com entre 15 e 17 anos destruíram 250 tumbas em Sarre Union; presidente francês chamou ato de insuportável

Aconteceu mais uma vez, tem se tornado parte do cotidiano. Depois de ataques ao lado de uma sinagoga em Copenhague, Dinamarca, um novo alvo judaico sofreu um atentado, desta vez na mesma França. A mesma França onde uma onda de ataques de intolerância terroristas deixaram 20 mortos no total – na redação da revista Charlie Hebdo e em um mercado de comida judaica.

Veja fotos dos atos de vandalismo cometidos em Sarre Union:

Cinco adolescentes foram detidos por pichar suástica e quebrar 250 tumbas em cemitério judaico na França. Foto: APO presidente da França, François Hollande, discursa em visita ao cemitério. Foto: APCinco adolescentes foram detidos por pichar suástica e quebrar 250 tumbas em cemitério judaico na França. Foto: APCinco adolescentes foram detidos por pichar suástica e quebrar 250 tumbas em cemitério judaico na França. Foto: APCinco adolescentes foram detidos por pichar suástica e quebrar 250 tumbas em cemitério judaico na França. Foto: AP

O alvo da vez foi um cemitério judaico em Sarre Union, no Nordeste da França. Cinco adolescentes com idades entre 15 e 17 anos entraram no local e vandalizaram tumbas. Os menores foram detidos depois que um deles, um garoto de 15 anos, confessou ter cometido os atos de vandalismo com outras quatro pessoas, segundo o promotor do caso.

Leia mais:
Onda antissemita faz milhares trocarem França por Israel

Um dos adolescentes, todos da região de Alsácia e sem registro criminal, afirmou que o ataque não foi antissemita. Contra eles, no entanto, há o fato de terem sido encontradas suásticas nazistas pichadas muitas das 250 tumbas vandalizadas.

O presidente da França, François Hollande, em visita ao cemitério vandalizado nesta terça-feira
AP
O presidente da França, François Hollande, em visita ao cemitério vandalizado nesta terça-feira

Crescimento da intolerância
O presidente da França, François Hollande, visitou o cemitério vandalizado nesta quinta-feira (17). E falou sobre o número crescente de atos contra comunidades judaicas e muçulmanas no país, na pequena cidade localizada na região da Alsácia, que chegou a ser anexada à Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial.

Leia também:
Fatos comprovam a ascensão do anti-semitismo na Europa
Islamofobia: muçulmanas são agredidas com cuspidas e pedradas
"Devemos ser implacáveis contra o racismo e o antissemitismo", diz Hollande

"Precisaremos colocar soldados em frente aos cemitérios?", indagou Hollande, para quem os atos de intolerância vão contra as fundações da república francesa. "Como podemos compreender o inominável, o injustificável, o insuportável? Esta é a expressão dos males que corroem a República."

Os jovens detidos ainda não foram formalmente acusados dos atos de vandalismo. Mas o presidente francês prometeu firmeza do governo para encontrar e processar todos os que cometerem antissemitismo ou racismo no país. 

* Com Associated Press e CNN

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas