Ex-premiê Berlusconi ainda dá dinheiro a prostitutas de luxo, diz investigação

Por Ansa | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Após ser condenado em primeira instância a sete anos de prisão, em 2013, ex-primeiro-ministro foi absolvido em julho

O ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi ainda dá dinheiro a garotas que participaram das festas que ele batizou como "Bunga Bunga", informaram fontes judicais nesta terça-feira (17).

Silvio Berlusconi fala ao telefone enquanto instituto Sacra Famiglia, em Cesano Boscone, Itália
AP
Silvio Berlusconi fala ao telefone enquanto instituto Sacra Famiglia, em Cesano Boscone, Itália

Em investigação sobre suspeita de corrupção em processos judiciais e falso testemunho nas audiências ligadas ao caso, investigadores descobriram propriedades compradas por algumas garotas que estão usufruindo de estilos de vida muito superiores aos possibilitados por suas rendas declaradas.

Leia mais:
Oposição italiana quer explicações de Berlusconi sobre escândalo
Em tribunal, Berlusconi nega sexo com menor e 'bunga-bunga' em mansão

A Polícia italiana realizou buscas nas casas de diversos nomes ligados às festas, inclusive o de Ruby, pivô do caso que ficou conhecido por seu nome no qual Berlusconi era acusado de extorsão e prostituição de menores.

Mais de 40 pessoas estão envolvidas na nova investigação, incluindo o ex-premiê e seus advogados Niccolò Ghedini e Piero Longo.

Caso Ruby 
Após ser condenado em primeira instância a sete anos de prisão em 2013, Berlusconi foi absolvido pela Corte de Apelação de Milão em julho. Ele era acusado por prostituição de menores e abuso de poder, após relacionar-se com Ruby.

O ex-primeiro-ministro sempre negou as acusações e costuma afirmar que promovia apenas festas e jantares em sua residência, e que o dinheiro dado à jovem era para "ajudá-la".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas