Advogado de defesa de um dos dois suspeitos diz que os dois foram acusados de dar abrigo ao pistoleiro e se livrar de arma

A polícia dinamarquesa prendeu dois suspeitos de ajudar o atirador que matou dois em ataques terroristas no fim de semana em Copenhagen, afirmou a polícia nesta segunda-feira (16).

Ontem:  Suspeito de ataques em Copenhague é identificado

Investigador de polícia trabalha no local onde houve ataque terrorista em um evento sobre liberdade de expressão em Copenhague, Dinamarca
AP
Investigador de polícia trabalha no local onde houve ataque terrorista em um evento sobre liberdade de expressão em Copenhague, Dinamarca

Terror:  Chocados, cidadãos dinamarqueses deixam flores nos locais dos atentados

Segundo os policiais, as prisões foram feitas no domingo e dois homens terão de enfrentar uma audiência de custódia nesta segunda. O advogado de defesa de um dos dois suspeitos, Michael Juul Eriksen, disse à emissora pública DR que os dois foram acusados de dar abrigo ao pistoleiro e se livrar de arma.

O suspeito deixou dois mortos nos ataques do fim de semana, incluindo um cineasta dinamarquês e um membro da comunidade judaica da Dinamarca. No sábado, ele primeiro abriu fogo contra um centro cultural que realizava seminário sobre liberdade de expressão com um artista que havia feito caricaturas do profeta Maomé. Depois, ele atirou contra forças de segurança do lado de fora de uma sinagoga. Horas mais tarde, o suspeito foi morto em uma troca de tiros com a SWAT.

ONU: Ban Ki-moon condena ataques em Copenhague

Luto: Ministro do Interior da França visita Copenhague em solidariedade por ataques

A polícia diz que o atirador morto era um jovem de 22 anos com uma história de violência e pode ter sido inspirada por terroristas islâmicos - e, possivelmente, pelo massacre ao Charlie Hebdo em Paris. Eles ainda não revelaram seu nome.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.