Pelo menos sete pessoas foram mortas e 32 feridas em atentado suicida na Nigéria

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Testemunhas disseram que a mulher foi até um terminal de ônibus, ficou no meio da multidão e provocou a explosão

Agência Brasil

Uma mulher-bomba cometeu neste domingo (15) atentado suicida na estação de ônibus de Damaturu, no Nordeste da Nigéria, matando pelo menos sete pessoas e deixando 32 feridas, segundo fontes policiais.

Nigéria:

Presidente nigeriano pede assistência dos EUA para combater Boko Haram
Boko Haram invade cidade na Nigéria e Exército reage

“Um ataque foi cometido na estação de Damaturu por uma mulher. Até o momento foi confirmada a morte de sete pessoas, enquanto 32 ficaram feridas”, declarou Marcos Danladi, chefe da polícia do estado de Yobe, onde ocorreu o atentado.

Testemunhas disseram que a mulher entrou em um veículo que foi até uma mercearia no final do terminal de ônibus. Ela ficou no meio da multidão e provocou a explosão.

Martha Mark, mãe de Monica Mark, uma das sequestradas em escola nigeriana, chora ao mostrar foto da jovem na casa da família em Chibok, Nigéria (19/05). Foto: APApós possível divisão do grupo de reféns analistas dizem que resgates pode levar anos (8/05). Foto: AFPEstudantes protestam do lado de fora do consulado nigeriano em Nova York, EUA, pelas meninas sequestradas pelo Boko Haram na Nigéria (28/05). Foto: ReutersAluna de uma escola sul-africana, com tradicionais manchas de tinta no rosto, participa de protesto silencioso pelas jovens raptadas na Nigéria (14/05). Foto: APMulher grita durante manifestação incitando o Governo a agilizar o resgate das meninas sequestradas, em Abuja, Nigéria (11/05). Foto: APAtivistas participam da campanha 'Tragam nossas meninas de volta durante vigília realizada no Dia das Mães em Los Angeles, EUA (11/05). Foto: ReutersQuatro estudantes que conseguiram escapar do sequestro feito pelo grupo Boko Haram em escola de Chibok, Nigeria (2/05). Foto: APAbubakar Shekau, suposto líder do grupo extremista Boko Haram, fala sobre o sequestro de estudantes no nordeste na Nigéria (5/05). Foto: APUma mãe não identificada chora durante manifestação com outros pais cujas filhas foram sequestradas em escola de Chibok, Nigéria (29/04). Foto: APManifestante segura cartaz contra os raptos de garotas feito pelo grupo islâmico Boko Haram (5/05). Foto: APManifestantes protestam contra a demora do governo da Nigéria em encontrar as mais de 200 estudantes raptadas de escola em Chibok. Foto: APMulher participa de um protesto exigindo a libertação de meninas da escola secundária que foram raptadas da aldeia de Chibok, Nigéria. Foto: ReutersMulher segura cartaz durante manifestação sobre o sequestro das meninas de uma escola em Chibok, Nigéria (5/05). Foto: Reuters


Leia tudo sobre: nigériaboko haramconflito na nigéria

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas