Secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) fez um apelo em defesa da liberdade de expressão e da tolerância

Agência Brasil

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, condenou hoje (15) os ataques de ontem (14), em Copenhague (Dinamarca), que deixaram dois mortos e cinco feridos. Ele fez um apelo em defesa da liberdade de expressão e da tolerância.

Para Ban Ki-moon, “não há nenhuma justificativa para ataques contra civis”, de acordo com comunicado divulgado pela ONU.

Leia mais:  Ministro do Interior da França visita Copenhague em solidariedade pelos ataques

“Não há lugar para o antissemitismo e outras formas de discriminação racial, étnica ou religiosa no mundo de hoje”, destacou.

Ban Ki-moon transmitiu também sua solidariedade ao povo e às autoridades dinamarquesas e disse que seus pensamentos estão com as vítimas e as suas famílias.

As autoridades dinamarquesas mantêm o estado de alerta em Copenhague, um dia depois dos atentados a um centro cultural e uma sinagoga.

Na madrugada de domingo, a polícia matou o suposto autor dos tiros, que já estava sendo procurado pelos serviços de inteligência.

Leia também:  Após ataque na Dinamarca, Netanyahu diz para judeus imigrarem para Israel

O primeiro tiroteio em Copenhague ocorreu durante a tarde de sábado num centro cultural em que se realizava um debate sobre a liberdade de expressão, para o qual estava convidado o artista sueco Lars Vilks, que vive há anos sob proteção policial devido às ameaças de grupos islâmicos depois de desenhar Maomé como um cão.

O segundo ataque foi às portas de uma sinagoga em que se realizava uma cerimônia de “bar mitzvá” (que marca a maioridade religiosa judaica).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.