Dinamarca: primeira-ministra classifica tiroteio como ataque terrorista

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Ela afirmou que a Dinamarca foi alvo de “ato de violência cínica”; ataque matou uma pessoa em Copenhagen

Agência Brasil

A primeira-ministra dinamarquesa classificou hoje (14) o tiroteio de Copenhague como um “ataque terrorista”. Ela afirmou que a Dinamarca foi alvo de “ato de violência cínica”, de acordo com a agência francesa AFP. "Tudo leva a crer que o tiroteio tenha sido um atentado político, e, consequentemente, um ato terrorista”, disse Helle Thorning-Schmidt.

Antes, a polícia dinamarquesa tinha atribuído a mesma classificação ao atentado que provocou, na tarde de hoje, a morte de um homem e feriu pelo menos três policiais que se encontravam no local em que ocorria um debate sobre islamismo e liberdade de expressão

Protesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APA primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, durante ato na capital. Foto: APProtesto contra terrorismo levou milhares às ruas de Copenhague, na Dinamarca, na noite desta segunda-feira (16). Foto: APPoliciais investigam cena do crime que ocorreu em Copenhagen, Dinamarca. Polícia atingiu e matou suspeito de ter disparado ontem contra um evento sobre liberdade de expressão. Foto: APMovimentação de viaturas na rua que abriga a maior sinagoga de Copenhague, onde três foram baleados neste domingo (15). Foto: Steen A. Jørgenssen/ReproduçãoImagem mostra suspeito de ataque a café durante um ato por liberdade de experessão, neste sábado (14), em Copenhague. Foto: APPolicial armado corre perto da rua onde houve um ataque terrorista em um evento chamado "Arte, blasfêmia e e liberdade de expressão", em Copenhagen, na Dinamarca. Foto: APServiços de emergência se reúnem fora do local onde os tiros foram disparados. Foto: APMídia dinamarquesa informa que os disparos foram contra um café em Copenhagen, onde estava acontecendo o evento "Arte, blasfêmia e liberdade de expressão", organizado pelo artista sueco Lars Vilks, que tem enfrentado ameaças por fazer caricaturas do profeta Maomé, em 2007. Foto: APForças de segurança patrulham o local em que os disparos foram feitos, em Copenhagen. Foto: APEm foto de arquivo, de 3 de janeiro de 2013, o artista sueco Lars Vilks posa para uma fotografia em Nyhamnsläge, Suécia. Tiros foram disparados neste sábado, 14, em um café em Copenhague que estava sediando um evento sobre liberdade de expressão, organizado pelo artista. Ele tem recebido inúmeras ameaças por fazer caricaturas do profeta Maomé. Foto: AP

A polícia dinamarquesa procura os dois suspeitos da autoria do ataque, já tendo encontrado abandonado e vazio o carro, de modelo Volkswagen Polo, que teria sido usado na fuga.

Leia também: Tiroteio em seminário com cartunista Lars Vilks deixa um morto em Copenhague

O ataque ao centro cultural onde ocorria o debate Arte, Blasfêmia e Liberdade de Expressão contava com a presença do embaixador de Paris em Copenhague, François Zimeray, e do cartunista sueco Lars Vilks, autor de uma caricatura de Maomé publicada em 2007, que provocou forte contestação da comunidade islâmica.

O episódio de 2007, que tinha como base o trabalho de Vilks, seguiu-se à polêmica que envolveu o diário dinamarquês Jyllands-Posten que, em setembro de 2005, publicou 12 caricaturas de Maomé, consideradas ofensivas pela comunidade islâmica.

De acordo com a imprensa dinamarquesa, Lars Vilks seria o alvo do ataque de hoje. Nem o embaixador, nem o cartunista foi atingido pelos disparos.

Leia mais: França classifica tiroteio na Dinamarca como atentado terrorista

Paris também já classificou oficialmente o atentado como ataque terrorista. "Condeno com a maior firmeza este atentado", afirmou em comunicado Laurent Fabius, ministro dos Negócios Estrangeiros francês.

O ministro francês da Administração Interna, Bernard Cazeneuve, deverá viajar “o mais rápido possível” para a Dinamarca, a fim de para recolher informações sobre o ataque, informou o presidente François Hollande, em comunicado. Ele declarou “toda a solidariedade” do seu país à primeira-ministra dinamarquesa Helle Thorning-Schmidt.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas