Capitão do Concordia é condenado a 16 anos de prisão

Por Ansa |

compartilhe

Tamanho do texto

O Costa Concordia afundou em 12 de janeiro de 2012 na ilha italiana de Giglio, deixando 32 mortos

O capitão do navio Costa Concordia, Francesco Schettino, foi condenado nesta quarta-feira, dia 11, a 16 anos e um mês de prisão pelo naufrágio em janeiro de 2012, que deixou 32 mortos.

Naufrágio na Itália: Saiba o que aconteceu com o Costa Concordia

Navio Costa Concordia chega a Gênova para desmonte

Francisco Schettino deu entrevista ao programa Quinta Colonna, na Itália
AP
Francisco Schettino deu entrevista ao programa Quinta Colonna, na Itália

Ele ainda estará impedido de atuar como capitão pelo período de cinco anos, informou o tribunal de Grosseto, na Itália.

A pena também o obriga a pagar os custos do processo e o proíbe de concorrer a cargos públicos pelo resto de sua vida.

Conhecido mundialmente como o "capitão covarde" por ter deixado a nave antes dos passageiros, o ex-comandante chorou nesta quarta-feira ao prestar depoimento na fase final de seu julgamento em Grosseto.

Leia também: Encontrado corpo de última vítima de naufrágio do Costa Concordia

"Talvez vocês não entendam que, naquele dia 13 de janeiro de 2012, uma parte de mim também morreu", disse Schettino aos juízes, em uma declaração espontânea ao tribunal. "Fui acusado de não ter me sensibilizado pelas vítimas. Mas é minha maneira de exibir meus próprios sentimentos. Escolhi não instrumentalizar a dor", disse o ex-comandante, que chorou ao relembrar encontros que teve com sobreviventes em sua casa. "Não queria nada disso", contou.

O promotor Stefano Pizza pediu ao tribunal uma pena de 26 anos e três meses de prisão para o ex-comandante.

Schettino respondeu por homicídio e lesão culposa (14 anos), naufrágio culposo (nove anos), abandono de incapazes (três anos) e omissões e falsas declarações (três meses).

O Costa Concordia afundou em 12 de janeiro de 2012 na ilha italiana de Giglio, deixando 32 mortos.

Lembre os grandes naufrágios da história:

Lampedusa - Barco com mais de 500 imigrantes naufragou após incêndio, deixando mais de 100 mortos. Foto: APLampedusa - Um dos acidentes mais mortais nos últimos tempos na conhecida travessia de imigrantes. Foto: APNavio Costa Concordia - Naufragou com 4.229 passageiros e tripulantes a bordo no litoral da Ilha de Giglio, na italiana Toscana, em janeiro de 2012. Acidente deixou 32 mortos. Foto: APNavio Costa Concordia - Gigantesco casco de 114,5 mil toneladas ficou deitado de lado há mais de 20 meses, dominando a paisagem do pequeno porto da ilha de Giglio. Foto: AFPNavio Achille Lauro - O luxuoso navio afundou em dezembro de 1994 a cerca de 250 quilômetros da Somália, mais de dois dias depois de pegar fogo. Foto: APNavio Estonia - Navio naufragou com 989 ocupantes a bordo no trajeto Tallinn-Estocolmo em setembro de 1994. Morreram 852 pessoas afogadas. Foto: APBalsa Moby Prince - Balsa abalroou o navio-tanque Agip Abruzzo, que estava ancorado, num acidente que matou 140 pessoas em abril de 1991. Foto: APBateau Mouche - Embarcação de turismo que naufragou na costa brasileira no dia 31 de dezembro de 1988 a caminho de Copacabana. Dos 142 passageiros, 55 morreram. Foto: AEBalsa Dona Paz - Em dezembro de 1887, nas Filipinas, a balsa afundou após colidir com navio-tanque Vector, matando 4.375 pessoas. Foto: APTitanic - Transatlântico afundou na sua viagem inaugural, após bater em um iceberg. Dos 2.228 passageiros, 1.523 morreram.. Foto: AP


Leia tudo sobre: Costa ConcordiacapitãoFrancesco Schettinopena

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas