Unasul tenta aproximar Venezuela e Estados Unidos

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Comissão de diplomatas do Brasil, Colômbia e Equador participam da reunião que acontecerá em Montevidéu

Agência Brasil

A Comissão Reduzida de Chanceleres da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) para tratar da situação da Venezuela, formada pelos chanceleres da Colômbia, do Equador e do Brasil, reúne-se nesta segunda-feira (9) em Montevidéu.

Maduro pediu que a Unasul buscasse saída diplomática para sanções norte-americanas a funcionários de seu governo
AP
Maduro pediu que a Unasul buscasse saída diplomática para sanções norte-americanas a funcionários de seu governo

Leia mais: Procuradora da Venezuela anuncia processo judicial contra os Estados Unidos

Exército da Venezuela confirma ter abatido avião no Mar do Caribe

No encontro, será avaliado o pedido do presidente Nicolás Maduro para que a comissão promova um diálogo diplomático com os Estados Unidos. Na semana passada, os norte-americanos aplicaram sanções contra funcionários do governo venezuelano por violação dos direitos humanos.

Além do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, e dos chanceleres da Colômbia e do Equador, participarão da reunião a chanceler venezuelana,  Delcy Rodríguez, e o secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper.

Leia mais: Brasil adota discurso cauteloso sobre crise na Venezuela

Primeiro compromisso oficial de Dilma será com Nicolás Maduro, da Venezuela

A comissão promoveu várias reuniões no ano passado na Venezuela, para tentar restabelecer o diálogo entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição, que liderava protestos nas ruas do país. Na época, o representante brasileiro nas conversações era o então chanceler Luiz Alberto Figueiredo.

Sanções

O Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou, na última segunda-feira (2), sanções a funcionários do governo venezuelano, com a suspensão de vistos em passaportes, após declarações de Maduro de que o vice-presidente americano, Joe Biden, estaria “por trás de um plano para derrubá-lo”.

Em julho do ano passado, a Casa Branca impôs restrições a 24 integrantes do governo venezuelano. Os Estados Unidos acusaram o governo Maduro de ter agido de maneira violenta na repressão a protestos contra sua gestão.

Já na última quarta-feira (4), Maduro pediu à Unasul que promovesse um diálogo diplomático com os Estados Unidos. "Falei com o secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper. Solicitei-lhe oficialmente que assuma uma iniciativa diplomática para evitar que os Estados Unidos continuem rumo a um beco sem saída, para procurar um mecanismo de diálogo com o governo norte-americano e construir uma diplomacia de paz, de diálogo, de entendimento", disse o chefe do governo venezuelano durante o programa Em Contato com Maduro, transmitido pela televisão estatal.

Leia tudo sobre: UnasulNicolás MaduroEstados UnidosVenezueladiplomacia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas