Luciana Vieira havia viajado para ajudar nas buscas pelo filho Fernando Vieira Campello; corpo já estava em decomposição

Luciana Vieira, mãe do brasileiro Fernando Vieira Campello, 24, desaparecido na Indonésia há quase uma semana, reconheceu nesta quinta-feira (5) um corpo encontrado na praia de Lombok como sendo o do rapaz. 

Terça:  Brasileiro desaparece em ilha da Indonésia

Luciana Vieira ao lado do filho Fernando Vieira Campello em foto publicada por ela no Facebook
Reprodução/Facebook
Luciana Vieira ao lado do filho Fernando Vieira Campello em foto publicada por ela no Facebook

Dia 15:  Uso de drogas provocou delírio e morte de brasileiro, diz polícia do México

Em sua página no Facebook, a mãe escreveu que "O amor da minha vida foi chamado pelo Senhor. Dói demais mas acredito que ele esteja em paz pois sua passagem por aqui foi uma aventura maravilhosa . Ele sempre esteve cercado de pessoas maravilhosas, que o amam muito". 

Autoridades encontraram os restos mortais que poderiam ser de Campello na terça, mas amigos do jovem não reconheceram, já que estava em avançado estado de decomposição. Mas segundo a embaixada do Brasil na capital indonésia, a mãe do rapaz, acompanhada de um diplomata do Itamaraty, reconheceu o filho por meio de uma tatuagem. A causa da morte deve ser atestada por meio de um novo exame forense.

O Itamaraty confirmou o desaparecimento do brasileiro no início desta semana e afirmou estar dando apoio à família. O brasileiro morava há três anos em Surfers Paradise, Austrália, com a mãe. Ele estava fazendo uma viagem a alguns países da Ásia desde o começou do ano e a Indonésia era o último destino do roteiro.

Ele desapareceu na Ilha de Gili Trawangan, depois de ir a um bar na sexta-feira com um grupo de brasileiros que o acompanhava. Ele foi o único que não voltou para o hotel. Na manhã do sábado, quando os amigos não encontraram Campello em seu quarto, acionaram a família e as autoridades locais. O tio de Campello, Rodolfo Tadeu, 30, que está no Brasil, contou que a família não havia recebido apoio das autoridades locais e nem do Itamaraty.

*Com Ansa 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.