“O sangue do mártir Maaz al-Kassasbeh não será em vão, a resposta da Jordânia e de suas forças será severa”, disse o rei

Agência Brasil

O rei da Jordânia, Abdullah II, prometeu nesta quarta-feira (4) uma resposta severa ao grupo extremista Estado Islâmico, que queimou vivo o piloto jordaniano Maaz al-Kassasbeh, feito refém na Síria em dezembro.

Abdullah II posa à direita do premiê Maaruf Bakhit, rei prometeu resposta severa ao Estado Islâmico
AFP
Abdullah II posa à direita do premiê Maaruf Bakhit, rei prometeu resposta severa ao Estado Islâmico

“O sangue do mártir Maaz al-Kassasbeh não será em vão, e a resposta da Jordânia e de suas forças será severa”, afirmou o rei, em comunicado divulgado no final de uma reunião com os responsáveis da segurança do país.

O rei, que terminou mais cedo uma viagem aos Estados Unidos, após o anúncio da execução do piloto, afirmou que o assassinato de Kassasbeh é um ato “criminoso e covarde”.

Leia mais:
Estado Islâmico queima piloto jordaniano vivo e divulga imagens na internet
Jordânia afirma ter executado jihadista iraquiana condenada
Após assassinato de piloto, Jordânia afirma que executará terrorista iraquiana

“A organização terrorista que o cometeu não é só nossa inimiga, é também inimiga do Islã”, disse o rei, acrescentando que a guerra contra o terrorismo deve associar toda a comunidade árabe e islâmica.

A Jordânia enforcou nesta quarta-feira (4) dois jihadistas iraquianos condenados à morte há vários anos, em resposta à execução do seu piloto.

Veja algumas das vítimas do Estado Islâmico:


    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.